segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Esquinas da Vida!




















Com a idade tornamo-nos desconfiados de tudo e de todos e a maioria com essa postura quase deixa de viver fechado na sua redoma. O medo é um sentimento corrosivo que nos tolda os movimentos. As crianças crescem súper protegidas debaixo desse toldo, não ganhando defesas quando têm que enfrentar o "mundo escolar" onde os pais e ou educadores devem ser mais participativos. A educação tem que vir do berço e não esperar que os professores façam esse papel!
Sei que não é fácil, mas há que saber dosear as coisas, porque já não sendo nova e tendo passado o que passei, ainda consigo dizer: eu vivo sem valorizar "medos" e andar p'ra frente sem "bengalas emocionais" que muitos dependem porque esperam que lhes caiam do ceú!
Os amigos e até familiares que se afastam, deixá-los em paz, porque o que importa é estarmos conscientes de que nada de mal lhes fizemos e não pararmos no "pantanal" de que só se lembraram de nós enquanto precisaram. Nada disso...
Procurar meios e saídas para ocuparmos o tempo, nomeadamente para quem está reformado, doente ou até desempregado, é a melhor ferramenta para não entrar nas esquinas da solidão, depressão ou tristeza e nunca refugiarmo-nos apenas neste mundo de cabos.
É o que eu penso...é o que eu faço...é o que ensino e enquanto puder "deito a língua de fora" às agruras da vida sem nunca perder o meu optimismo e sorriso.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Vasculhando um sotão...

que leio há anos e cada vez está mais surpreendente pela POSITIVA e sobretudo pela positividade que coloca nas suas "reflexões sempre sucintas mas cheias de tudo". Mas estas três guardei-as na minha memória...que como ele escreveu: "A memória é sabermos onde estamos. Os passos para o futuro têm que ter como sustentáculo essa memória tão necessária...".

Não é graxa ao "Sir mfc" nem fazer publicidade para que passem por lá e muito menos menosprezar todos os outros que frequento porque irei publicar o que "retive dos meus livros de bolso".

Ora vejam















As brincadeiras inocentes e despreocupadas que tínhamos. Ainda as sentimos cá dentro e teríamos vontade de as repetir, se não nos vissem como ridículos!
... ou nós a nós próprios!
Pé de de meia... mfc - 19/07/2005

















Desfilaram um dia garbosos, todos vestidos igualmente de caqui, alinhados ao som de tambores e música marcial. Disseram-lhes que tinham uma missão... defender a Pátria! Tinham pais, irmãos, amigos e amores. Hoje continuam alinhados e alguns têm apenas quem os chore. Que raio de missão esta!! Nenhum Poder merece uma vida.

Pé de meia...mfc - 30/10/2006
















Dói-me ver uma árvore decepada. Sei que é necessário... mas dói-me na mesma! Levantadas, fazem parte da imagem edílica que temos da floresta. A sua pujança contrasta agora com a sua amputação. É que também os homens caídos deviam ter oportunidade de se levantarem, já que não há sub espécies humanas!
Pé de meia... mfc - 13/12/2008

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Por cá seria uma boa solução?

Criar o Ministério da Corrupção












Acho que o problema é que a corrupção é mal explorada no Brasil. São recursos imensos que passam de mão em mão sem que o país lucre com isto. Muitas vezes os recursos vão para o exterior, quando podiam ficar aqui, movimentando nossa economia. Pode-se fazer um paralelo entre o mau aproveitamento do nosso talento para a corrupção e a exploração do ouro do nosso solo. Que, como a corrupção, também é feita a céu aberto, com métodos pouco sofisticados e com grandes perdas para os cofres da nação.

A corrupção é outra riqueza natural do Brasil que está se perdendo, não por falta de verbas - no caso, há um excesso de verba - mas por falta de racionalização. Temos alguns dos maiores corruptos do mundo agindo por conta própria, na inspiração do momento, sem método e sem orientação. O próprio governo dá mau exemplo. Há corruptos em diversos ministérios, cada um agindo em faixa própria. Um hipotético corruptor que precise de favores ilícitos de mais de um departamento governamental perde tempo e dinheiro indo de um lado para o outro - sem contar, claro, o tempo que gasta na sala de espera, entre outros corruptores, esperando a sua vez, muitas vezes para descobrir que procurou o corrupto errado. Tudo isto seria evitado com a racionalização da corrupção no país. As pessoas se espantam com as cifras de um caso Coroa-Brastel, por exemplo. Mas é inimaginável o que poderia ter sido atingido se houvesse uma legislação específica para o setor. Os corruptos se ressentem da falta de normas. Muitos não realizam todo o seu potencial porque não sabem até onde podem ir. Como raramente são denunciados e nunca são punidos, os corruptos brasileiros não têm parâmetros para julgar o seu trabalho. Não há incentivo. Não há reconhecimento para o efeito multiplicador da corrupção na economia. Os corruptos formam um dos segmentos mais empreendedores e imaginativos da sociedade brasileira. O descaso das autoridades com eles equivale a um desperdício que a nação não pode tolerar, ainda mais numa época de crise. A solução talvez fosse a criação de um Ministério da Corrupção que centralizasse esta importante atividade e a regulamentasse. Existem vários corruptos eminentes que se prontificariam a assumir o Ministério, até sem receber nada, só para ter o ponto. O Ministério estabeleceria metas e cotas para a corrupção e, dependendo da disponibilidade, subvencionaria o pequeno e o médio corrupto, em troca de comissão. A verba para o Ministério da Corrupção não seria alocada, como para os outros Ministérios. Seria desviada. O Ministério participaria das reuniões do gabinete, mas embaixo da mesa.

Etc., etc.

Luis Fernando Veríssimo(foto Google)

sábado, 7 de agosto de 2010

Sábado em grande!

Hoje fui almoçar a casa da filha e comemos uma bela















As filhas e genros estão bem, as netas umas malandras, a minha mãe feliz mas o rei da festa foi o benjamim que já anda e além de comer de tudo é doido por melancia, Já se faz entender muito bem e se não lhe ligarem encarrega-se de falar mais alto para ser ouvido ou dizer com um ar de malandreco: então?

Observador não te convidei por saber que "adoras sardinhas" e podias comer demais e fazer-te tãoooooo mal!

Agora nem imaginam onde vou e pela primeira vez, porque há sempre uma primeira vez.
Quem me acompanha há muito sabe que detesto fado e que nunca fui a nenhuma casa de fados ou algo do género. Pois bem meus amigos, aqui mesmo ao lado do meu prédio, existe um café onde se junta um grupo enorme bem disposto e falante, quase todos vizinhos e redondezas, sobretudo agora com a esplanada. Tem uma passagem da minha rua para a outra de trás que é fechada às 20h pelos lojistas.

Resolveram fazer uma noite de fados e fui convidada. Bastava chegar à janela da varanda de trás que via e ouvia, mas é sempre diferente estar no convívio, com jantar e tudo.

Não faço a mínima ideia quem são os



















e os fadistas, mas com gente bem disposta e com este tempo maravilhoso e sem pingo de vento, vai ser um fim de tarde muito bom, porque são todos super bem dispostos!

Ah... existe uma ementa e soube logo de manhã, que para mim em vez de chouriço há farinheiras...como me estragam com mimos!

Inté!
..................................
Acabei de chegar, uma da manhã hei:) e gostei imenso, mas do que gostei mais foi dos sons das guitarras, de quatro fados à desgarrada e de alguns bens antigos mas nada, nada tristes.
Valeu a pena e como já é domingo: UM DIA FELIZ PARA TODOS!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Pensamentos meus!

Perante um amigo ou alguém que te fere, não mostres má cara, não respondas, apenas olha nos olhos ...e sorri... seguindo o teu caminho!

Preocupa-te pelos que te rodeiam, porque se fizeres isso verás que os teus problemas se tornam mais leves!

Quem é gabarola, das duas uma: ou faz mesmo e ao gabar-se é um artola, ou não faz nada e vive numa gaiola!

Gosto de ti pelo que és e não pelo que me dás materialmente! Devolvo para parares e pensares!*




* Um recado que deixei a um colega meu (em Angola e que nunca mais o vi) e a resposta foi deliciosa mas totalmente desconcertante:

"Miúda já parei e pensei mas esbarro sempre na mesma tabuleta: Gosto de ti pelo que és já que a "matéria de que és feita por dentro e por fora" é boa demais e difícil de encontrar!"


Também gosto muito de todos vós e pelo que deixam nos vossos espaços, fazendo deles os meus livros de bolso! Obrigado!