terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

A COMIDA TAMBÉM SE MASCARA

Para a fotógrafa Emily Dryden estas máscaras com alimentos são muito mais do que uma mera brincadeira. A dezena de composições com frutas, vegetais e elementos botânicos são um alerta para a diversidade alimentar, recurso a uma dieta mais saudável e orgânica. Este trabalho ganhou um concurso internacional.



Gosto imenso destes trabalhos feitos com imensa imaginação!

Ler mais em SAPOLIFESTYLE

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Vamos sorrir:)



(enviado por email)

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Essa Palavra Margem - Ondjaki

quem primeiro domesticou a palavra margem foi Guimarães Rosa!
Depois foi invadido por marés de margens...



depois pode-se apontar
margem de rio
margem da página
margem do momento
[ou momento à margem]
margem-só
terceira margem
[do rio, das pessoas, do amor]
poeta à margem
poesia das margens
margem de gente
à margem da vida
vidas sem margem
ficas sem margem
na margem da vida
margem de vinda
margem de ida
margens de chegada
[com canoas, jangadas, embarcações]
margem adiada
margem odiada
margens dos cegos, dos gagos
a margem dos que estão
à margem dos que não estão
margem da liberdade
[de pisar o chão]
à margem da verdade
margem da lágrima
minha margem
na margem
do meu poema.
[a terceira margem da pessoa – é o outro...?]

Ondjaki
(poeta e escritor nasceu em 1977 em Luanda e é licenciado em sociologia)


Imagem Google

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Dia 14 de Fevereiro...um ano depois!

Ontem fez um ano que a minha mãe saiu da sua casa e nunca mais voltou. Fui vê-la ao lar sem avisar e ficou surpresa porque não estava a contar comigo. És sempre a mesma...nunca avisas, malandra.

Esteve a coser uma peça de roupa de uma das companheiras. Em cima da cadeira estava um livro que anda a reler, deste grande senhor:


Agostinho da Silva



Quer ela, quer o meu pai gostavam de ouvir as inúmeras entrevistas que deu na década de 90. Também ouvi algumas e por vezes debatíamos as mesmas:)

Para mim foi uma personagem do povo e que nunca se julgou "alguém importante"! Ouvi-lo era um bálsamo e há vários vídeos no Youtube que deveriam ser recordados principalmente na RTP, que dizem ser estatal, em vez de resmas de novelas e programas da treta!

Voltando à minha mãe, ela tinha marcado dois pensamentos e ou citações para eu ler, o que fiz e foram estas:

"Não faças planos para a vida, que podes estragar os planos que a vida tem para ti."

"Os políticos, em lugar de se ajudarem entre si e uns aos outros nesta tarefa difícil que é administrarem um país, em que se tem ao mesmo tempo que olhar o presente com todo o cuidado objectivo, e ter a maior confiança no que se pode concretizar de futuro, em lugar de os políticos se ajudarem uns aos outros, se auxiliarem, a realmente levar essa tarefa por diante, tantas vezes se entretêm, em todos os países, a lutar uns com os outros, a desacreditarem-se uns aos outros, como se isso pudesse fazer avançar seja o que for."

(Agostinho da Silva)

Biografia da Wikipédia:

"George Agostinho Baptista da Silva (Porto, 13 de fevereiro de 1906 — Lisboa, 3 de abril de 1994) foi um filósofo, poeta e ensaísta português. O seu pensamento combina elementos de panteísmo, milenarismo e ética da renúncia, afirmando a Liberdade como a mais importante qualidade do ser humano. Agostinho da Silva pode ser considerado um filósofo prático empenhado, através da sua vida e obra, na mudança da sociedade. Passou considerável tempo de sua vida no Brasil."

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Diário de uma semana de SOS-AVÓ-e-MÂE

Dia 6 e 10 fui logo de manhã para casa da filha mais velha e claro visitar a minha mãe às horas inesperadas e sem aviso prévio. Está bem, um pouco baralhada nas conversas, num registo muito melhor de adaptação e bem instalada no seu quarto individual que diz ser o seu mundo. Pus pomada nos seus joelhos a pedido da fisioterapeuta que faz parte do lar e que vai duas vezes por semana "exercitar todo o mundo".
Dia 8 trouxe-a aqui para cortar o cabelo porque já se sentia triste com o seu "aspecto". Um dia de sol. Do carro até à porta e volta do seu "menino cabeleireiro" deu 20 passinhos. Deixei-a sozinha pois gosta de conversar e uma hora depois fui busca-la. Como sempre pergunto se quer ir até à sua antiga praceta para ver as amigas. Não, que continuem a ir ao lar como já o fizeram.

Fomos lanchar. Ida e volta mais 30 passinhos, sempre amparada na sua bengala e em mim. Estava estafada e cheia de dores nos joelhos. No lar também anda pouco mas com menos esforço porque o empedrado dos passeios é terrível para quem tem pouca mobilidade e canso muito a minha alma com medo que ela caia. Cheguei ao lar, fui buscar a sua cadeira de rodas e fomos até ao quarto. Mais umas quantas coisas de "faz-me isto e põe ali e acolá numa de tira, rapa, põe e deixa:)"

Segui e fiquei na filha na companhia das netas que já tinham vindo da escola.

No meio do muito que se faz numa casa e que num ápice é virada do avesso, brinquei com estes dois que por vezes tiram-me do sério por andarem sempre atentos e atrás de mim.

O Lucky é super bem comportado e obediente, mas a Zara que completou um ano é completamente destravada e com pilhas duracell. Por vezes ele mete-a na ordem, mas esquece facilmente. Tem genes de canguru e toupeira e só visto que contado ninguém acredita. Pula bem alto quando quer chegar ao que lhe interessa para estragar e faz buracos por todo o lado. Só obedece ao meu genro porque sabe que uma palmada dele vale por mil das minhas e ou da minha filha:))

Ora vejam lá as minhas sombras negra e castanha e o estado em que está parte do quintal.






Nos outros dias arrumei a cubata, dei passeios a pé e li, porque ver televisão só desportos preferidos. Também fiz companhia a quem me bateu à porta para ir até ao café. Se fosse tomar café cada vez que me chamam era um autêntico caldeirão de cafeína:)))

Há tempo para tudo desde que tenhamos vontade de não "assapar no sofá", que não faz o meu género.

Amanhã a minha neta fará 14 anos. Ontem depois de termos jogado ao Stop ela pediu-me como prenda de anos "arroz de pato" e as duas foram a correr ao seu quarto. Pensei logo numa qualquer partida, mas vinham as duas e...avó toma para comprares o pato porque sabemos que são caros e tu não podes. Comovi-me e não aceitei e agradeci num abraço.Há gestos que valem e sabem tão bem!

Já adiantei tudo e amanhei farei o resto para delícia das filhas, genros, netos e mãe.

Tiveste paciência de ler tudo? Então toma lá um enorme



(imagem Google)

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Vamos pensar



Somente a curiosidade não envelhece connosco e fica sempre criança.

A curiosidade é uma das características certas e permanentes de um espírito vigoroso.

Os grandes feitos são conseguidos não pela força, mas pela perseverança.

Samuel Johnson

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

BOM FIM DE SEMANA



(Imagens Google)