segunda-feira, 28 de julho de 2008

Meu PAI...












hoje mais do que nunca lembrei-me de ti porque tal como tu, eu também gosto do dia do meu aniversário.
Apagar as velas é que não, eu sei pai!

Esteja onde estiveres sabes bem a falta que me fazes daí nunca te ter deixado sair do meu coração e falo contigo como sempre fiz!
Ajuda-me pai!

Oitenta e seis beijos saudosos desta tua Fatyly

domingo, 13 de julho de 2008

É


















Pensei conhecer as sombras pelos nomes,
especialmente, os das sombras das esquinas,
e todos os nomes,
todas as sombras
todas as esquinas,
quis conhecer.
Pensei conhecer as nuvens pelos nomes,
mas, fundamentalmente, o nome de cada esquina,
e todos os nomes,
todas as nuvens,
todas as esquinas,
quis conhecer.
Penso já conhecer as nuvens, pela sombra,
mas não, seguramente, as esquinas de cada nome.

Manuel Filipe
in "Nas Palmas da Noite" pág 45

(foto do google)

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Uma Reflexão Sobre o Tempo



(Angelus, em acordes de Corciolli)

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Porque acredito


















Na boca de muitos a palavra dócil tão falseada, que esmagam a frieza da preeminência de quem usa uma torrente de murmúrios como íman maléfico.
A caminhada é dura e já longa e as coxas dão sinal de paragem.
Sentada no chão, revejo traços de fragmentos de um inverno rigoroso que desaba num coração bombeado por sangue já tão desgastado.
Afinal sou matéria...mas também sou paixão.
Levanto-me num gesto rápido, solto risos afugentando possíveis invasores numa luta que não dou tréguas e grito:
A vida é a melhor prosa feita de folhas diárias...
coloridas e outras desbotadas por lágrimas!

E num "DESAFIO" o sol voltou a brilhar!

terça-feira, 1 de julho de 2008

Tudo tem o seu tempo...













Criei esta nova casa, mas como é tão nova ainda não sei bem o que fazer e como fazer.
Irei com calma, muita calma já que a partir de hoje e até sábado estarei de serviço como avó.
Depois então irei visitar-vos melhor e tentar erguer esta casa.