sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

É assim...
















que enfrento os altos e baixos da vida vivendo um dia de cada vez.

De cabeça para baixo fica-se com uma visão diferente dos momentos de susto, sufoco ou até desânimo, mas não paro e rapidamente dou a volta e volto à mesma posição: de frente sem perder "o sorriso com o grito do Tarzan" e o próximo ano que se aproxima, se for o meu destino de continuar VIVA, será mais um igual aos 59 que já passei.

Não faço balanços, o que passou...passou e aqui fica "uma das doze passas, não me importo ser a décima terceira" da meia noite que assustará quem não me conhece...ou talvez não!

BOM ANO 2011:)

domingo, 26 de dezembro de 2010

E o povo é que paga!

Sócrates diz que não há caminho alternativo à austeridade











A austeridade «é o único caminho que protege o país e que defende o interesse nacional - caminho que temos de percorrer com determinação, para que possamos, finalmente, virar a página desta crise e garantir um futuro melhor para a nossa economia e para todos os portugueses», considerou José Sócrates.

(...)Estas tarefas vão contar com o seu empenho e a sua motivação. «Os portugueses sabem que não sou de desistir, nem sou de me deixar vencer pelas dificuldades. Pelo contrário, é nestes momentos que mais sinto a energia interior e o sentido do dever para apelar à mobilização dos portugueses», declarou o líder do Executivo.(...) (TSF-Rádio Notícias)

****************

Claro que sim, a austeridade é o único caminho, mas caminho esse não percorrido por V.Exª. e os seus parceiros de dança.

Quando o estive a ouvir reparei em vários pormenores que me levaram a pensar como é que os portugueses não conseguem acreditar em si, já que:

- a árvore de Natal era a mesma do ano passado - pouparam sim senhor
- a lareira estava apagada - pouparam sim senhor
- a mesma sala pindérica e a cheirar a mofo - pouparam sim senhor
- as mesmas cortinas mais amarelecidas com o tempo - pouparam sim senhor
- o mesmo cadeirão ou poltrona já um pouco esfolada: pouparam sim senhor
- o seu fato estava um pouco amarrotado, talvez pelo seu nervosismo - pouparam sim senhor
- a sua cara tinha resmas de pó de arroz - não pouparam não senhor
- o seu cabelo está quase branco como o meu - pouparam sim senhor
- a sua "mentira" tornou-se na sua "verdade" - pouparam sim senhor!

Apela à "mobilização dos portugueses, porque não irá desistir, blá, blá" e como não conseguimos fugir como o senhor e a sua corte fogem, somos nós que temos que gramar a fava enquanto saboreia/saboreiam o bolo-rei em paraísos fiscais - cá dentro e lá fora!

Mas afinal o que foi que o senhor disse de novo se a cassete era a mesma que a do ano passado? - ah desculpe...pouparam sim senhor!

No meu disto tudo, lamento profundamente o estado de saúde da sua mãe e desejo as suas melhoras, para que lhe possa dizer o que eu diria se estivesse no lugar dela:

- filho, andei eu a lutar tanto com a tua educação e tu enveredaste por um caminho que eu não queria: O OPORTUNISMO DO COMPADRIO POLÍTICO e oxalá que nenhum dos meus netos sigam os teus passos ou venham a pagar pelas tuas aldrabices e que um dia te digam a Verdade da tua Mentira!

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

BOA CEIA DE NATAL!












Ponham os problemas de parte, esqueçam o estado da nação, partilhem em harmonia uma refeição quentinha e as pequenas lembranças com a família, vizinhos ou amigos e se estiverem sozinhos pensem em mim que vos faço companhia com o melhor que todo o ser humano tem: sorriso, esperança e sonho porque ninguém conseguirá fazer que eu deixe de acreditar no Pai Natal!

Será dificil? Não, desde que tenhamos coragem de mudar um bocadinho as lentes do coração!

Uma beijoca muito grande

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

2- Coisas que ainda hoje me fazem rir!

1- Namorei o X, que era o vizinho da frente, dos 6 aos 12 anos! Todos sabiam e as outras miúdas quando diziam que eu namorava um "panhonha", levavam uma tampona e com o respectivo aviso: se voltas a dizer isso do X não brincas mais com a gente. Ele era o mestre na fabriqueta das equipes de futebol de caricas, dos carros de rolamentos, estes gamados da pilha de pneus do pequeno aeroporto que havia pertíssimo da minha casa e de outras coisas. Claro que os mais bonitos eram para mim. Mas quando me chegava a mostarda ao nariz acabava o namoro e o pobre do X lá ia para casa mais murcho que eu sei lá. Todos tínhamos alcunhas: O Chupeta, o Picolé, o João Grande, Pequeno e Médio (havia 3), a Boneca, a Trançona, a Girafa, o Sinal, eu Fatyly e mais uns quantos!

2- Tínhamos dois cães: O Lucky e o Kuanhama e pelo quintal a sequência de "poias" que com o calor ficavam que nem pedras. Todos os dias o quintal era varrido e uma vez por semana toda a zona com cimento desinfectada com creolina e lavada à mangueirada.
Eu e o meu irmão do que nos fomos lembrar: embrulhar em papel de rebuçado as caganitas do cão e sentados no muro vendíamos a quem passava, a maioria militares a caminho do quartel-general. Como achavam-nos graça compravam e pouco depois, contentíssimos da vida fomos comprar dois doces XPTO na loja do Sr. Penedo. Na volta uma grande confusão no portão e o meu pai já pronto para ir à nossa procura. Ainda recordo a cara do meu irmão e eu como se nada fosse. Olhe são esses dois, como se o meu pai não soubesse. Onde está o dinheiro? e eu mostrei os doces...e lá fomos presos pelas orelhas ao Sr.Penedo, que devolveu o dinheiro e tivemos que pedir desculpa aos que enganámos.
Como sobremesa dois tabefes e que tabefes a cada um e de castigo no quarto sem almoçar e jantar. Mas a nossa MR levou-nos de comer sem que os meus pais soubessem.
Esta foi-me recordada há dias quando falei com ela a desejar-lhe um Feliz Natal!

3- Quando a minha mãe estava a ter o meu irmão João, nós os 3 mais velhos aguardávamos na sala pela novidade. O meu pai estava em viagem!
Mano, achas que é rapaz ou rapariga? Eu quero uma rapariga e tu mana? eu um rapaz para ser o meu cúmplice dois. Vais gostar mais dele do que de mim? Claro que não, vou gostar igual embora tu já estejas domesticado. Buáááááá mas eu não sou cão! Calem-se meninos!
Nasceu e lá fomos ver. Era lindo e tinha uns olhos que pareciam uns faróis e com uma diferença de 10 anos era comigo que ele se entendia sempre que se metia em alhadas. Grávida da minha filha ia para a praia com ele e os seus 5 amigos, tão malucos como ele e carrinha mais parecia uma "lata de sardinhas". Saí de Angola e ele ficou e teve que perfilar no exército angolano. Como não pude ir ao funeral, ainda hoje guardo a sua imagem bem viva e sinto aquele abraço quentinho que me dava sempre que estava comigo.
Tinhas 21 anos...e por vezes penso como serias hoje com 50 anos mas não consigo imaginar porque os teus grandes olhos azuis tão sorridentes de "menino reguila" brilham mais do que nunca!

4- Devido aos mosquitos, todas as semanas passava o "carro do fumo". Não me recordo que produto era utilizado, mas mal soava o apito todos abriam as portas e janelas e a fumarada entrava por tudo que era lugar. Sabíamos que era para matar os mosquitos evitando a cólera e o paludismo, mas quase toda a garotada tinha medo do carro do fumo. Eu e o meu irmão & Compª subíamos para o posto de vigia no topo da goiabeira e do cajueiro e lá de cima gozávamos com a minha irmã mais velha e a Trançona muito amiga dela mas embirrenta como o caraças, que choravam tanto agarradas à minha mãe, mas por serem mais gordinhas nunca conseguiram subir.

5- Quando a minha irmã mais velha começou a namorar o sobrinho da nossa MR e porque dormíamos as duas no mesmo quarto, cobrava-lhe dois e quinhentos para ficar de vigia ao corredor e mal ouvia a minha mãe ou pai, dava o sinal e conseguíamos fingir que dormíamos! Mais tarde já namoravam com autorização mas se queriam sair à noite só o podiam fazer se eu fosse a servir de vela. Ai como detestava, mas o meu lado bom pensava...coitados tenho que ir fazer o frete, mas o meu lado mau cobrava cinco escudos porque já trabalhavam. Acho que os meus pais nunca souberam do negócio.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Para ti que me lês!















A amizade é uma partilha
alimentada por gestos amenos
que farão dela a maravilha
mesmo que sejam pequenos!

Fatyly

sábado, 18 de dezembro de 2010

Até ao dia do embarque!












Recebi o seu chamado
num apelo à sobrevivência
por ser um simples galo
acordo com frequência!

Não faz mal podes entrar
com a tua digna galinha
vamos todos embarcar
vem aí muita chuvinha!

Mas eu sou o mais depenado
de todos os que por lá havia
talvez até o mais fraquinho
fui o escolhido, quem diria?

Há perguntas sem resposta
não sou eu que vou julgar
feio e fraco pouco importa
soubeste repartir e amar!

Eu nasci assim e assim serei
mas tenho pena dos que ficam
olhe Noé ainda não embarquei
vou fazer algo a ver se mudam!

Lá estás tu galo depenado
embarca e larga os outros
já fizeste muito no mundo
deixa ficar os monstros!

Ainda tenho algum tempinho
nada como tentar e ajudar
hoje estou bem acordadinho
amanhã posso já não cantar!

Fatyly

participação na Ciranda "Arca de Noé"

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Parabéns Odele e Flavia!

Por tudo que me tens dado, como mulher, mãe, amiga e cidadã, ao longo destes anos no espaço criado por ti e tão especial Flavia, vivendo em coma, onde conseguiste levar aos quatro cantos do mundo "o alerta" sobre os perigos dos ralos de piscina que puseram a nossa princesa no estado em que está e que hoje completa 23 anos, só conseguido dizer: Obrigado Odele pelo enorme exemplo que dás ao mundo e partilhares o que te vai na alma, sem lamechas, sem quereres nada em troca e fiel a ti própria e aos teus princípios.

São nestes momentos de impotência absoluta, que te levam a outros tempos "de saudade imensa" que quero estar presente e nada como partilharmos esta música do nosso cantor favorito, porque mesmo à distância e sem nunca nos termos visto pessoalmente, sei que existe amizade e cumplicidade!

Com todo o meu carinho dou-vos "aquele abraço de sempre e para sempre, mas peço-te que cantes comigo como estes "verdadeiros amigos" o sabem fazer e quem sabe se Flavia "no seu mundo" a ouvirá e dar-te-à um sorriso.

Sei que muitos se juntarão porque permanecem em torno de Flavia!




quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Esta merece destaque:) toma!

















Uma coisa doce não se procura. Encontra-se.
(Observador)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Coisas que me tiram do sério!










1- Li a notícia aqui bem mais completa e muito menos alarmista do que a que a minha mãe ouviu na televisão, que iria faltar açúcar porque no Brasil a cana do açúcar era destinada à produção do Diesel e que blá, blá, blá...e na tacanhez do povo português ficou só retido "vai faltar" e de imediato açambarcar o mais que podiam.

Sei dessa produção, mas o maldito jornalismo televisivo é tão sucinto que não disse que o Brasil é enorme e que tem plantações de cana para o açúcar e outras para o Diesel e que Portugal sendo apenas do tamanho de São Paulo (a grande Sampa)pode abastecer-se noutros locais e...que enfim, coisas que vocês também sabem!

Alertada pela minha mãe, disse-lhe que já tinha lido, mas filha vê a reportagem na SIC e lá liguei e vi uma jovem jornalista que tem de fazer figura de parva, que me virou as tripas:

"O Sr. veio ao súper à procura de quê?" de açúcar, apesar de ser sozinho e diabético, levo 10kg, o máximo que deixaram. Por o português ser imensamente imaginativo/criativo mas só quando lhe convém, fiquei a pensar, das duas, uma
- será que é para vender duplicando ou triplicando o preço?
- ou será para distribuir pela família(o que duvido)?

"E a Senhora?" olhe menina,nem sabia que havia falta e só me apercebi pelo movimento em torno das prateleiras, levo dois como sempre faço quando acaba porque me dá para muitos meses.

Há uns anos foi com o arroz e recordo bem o que passado uns meses era ver no caixote do lixo quilos de arroz com gorgulho ou humidade versus estragado. Uma tristeza!

O açambarcamento de alguns, leva a que outros não tenham e como os nossos noticiários com o péssimo jornalismo de "impacto" podem despoletar problemas graves

2- Por falar em jornalismo, o que está na berra é o Wikileaks. A classe política e não só, fervilham porque a maioria tem rabos-de-palha esquecendo-se dos graves problemas internos. Não sei inglês e acredito que muitos como eu também não sabem e lendo aqui e acolá vou-me apercebendo de algumas coisas sem entrar em histerismos. Sendo a internet uma janela aberta
para o mundo, por vezes com "efeitos de boomerang" ainda não percebi realmente a ideia de Julian Assange - será política, jornalística, totó ou maquiavélica? E porquê só agora quando o site foi criado em 2007 (vedado) e abriu não sei se em 2008 ou 2009? Conspiração contra Obama? e porque não o fizeram antes contra Bush e o seu belo reinado?

Alimenta barriga? Não!
Soluciona problemas internos? Não!
Melhora a cabecinha dos políticos? Não!

Então...

Eh pá, bem luto contra uma geração de oprimidos, depressivos, tristes e desorientados e sinceramente quero lá saber de tais notícias, que se entendam e se é para mandarem um míssil, que mandem vários de uma vez por todas para acabar esta "pouca vergonha mundial", porque os que se julgam impunes e ou imunes também sofrerão as consequências, oh se sofrerão e nós...entre mortos e feridos alguém há-de escapar para restauração de um novo mundo.

Noutro contexto...

3- Por dois dos desportos de inverno estarem suspensos devido ao mau tempo, ao fazer zapping nos três canais, as galas de Natal em prol dos desfavorecidos, os Ídolos e o seu maravilhoso júri e a Casa dos Segredos, é de vomitar as tripas. Venha o diabo e escolha.

Voltei ao canal do desporto. Foram suspensos! Apaguei a televisão e como sempre adormeci num sono tranquilo, mas sonhei e só me lembro de ver "figuras públicas" envoltas em melado e a serem papadas por enormes vespas. Credo!

Acordei assarapantada e matei uma melga! Voltei a adormecer!

sábado, 11 de dezembro de 2010

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Dá que pensar...







Quando eu nasci, era preto
Quando eu cresci, era preto
Senti frio, era preto
Senti fome, era preto
Adoeci, era preto

O homem branco nasceu, era rosa
Quando cresceu, ficou branco
Sentiu frio, ficou roxo
Sentiu fome, ficou verde
Adoeceu, ficou amarelo
Quando morreu, virou cinza

Como é que pode o homem branco
Ter a cara de pau
De me chamar de homem de cor?

(não sei quem é o autor e quem souber que diga pf)

sábado, 4 de dezembro de 2010

1- Coisas que ainda hoje me fazem rir!

1- A minha mãe punha a minha irmã mais velha a brincar em cima dum enorme móvel para eu não lhe destruir os brinquedos. A vingança era fatal quando a apanhava a jeito!Coitada ainda hoje se lembra disso!

2- Eu e o meu irmão a seguir a mim, fazíamos uma dupla e pêras! A pior, ao entrarmos no quintal dizíamos que era "paneleiro" (só mais tarde vim a saber o significado) quem não chegasse primeiro à mãe. Ambos magrelas, corríamos bem, mas só que ele fechou a porta de vidro e eu em fracções de segundos fechei os olhos e enfiei o braço esquerdo pelo vidro. Um golpe do punho até meio do braço. Fiquei a olhar e era veias, gordura e osso, oh mano olha só que giro (porque estava quente e não me dóia) até está a gotejar e ele quando viu começou a berrar que nem um desalmado. Veio meio mundo em meu socorro e eu impávida e serena e lembro-me bem de que perguntei, mas para quê todo este festival? Resultado: dois bofetões em cada um, 28 agrafes, raspanete do médico, talas para não dobrar o braço e algo para as dores. Ainda hoje tenho a cicatriz, claro...bem mais pequena!

3- Quando vinha da escola adoravamos tocar nas maçanetas(mãos metalizadas), sinos e campainhas das portas e havia um velho que já tão farto (coitadinho) esperou por nós e antes que...deu-nos um banho de mangueira. Justificar à mãe e ao pai(que nesse dia estava em casa) foi bem pior. Resultado? umas nalgadas bem assentes e sem direito a almoçar. Vingamo-nos nas goiabas, fruta-pinhas e mangas e estivemos de cama dois dias com uma valente diarreia!

4- Andávamos na catequese. Quando acabava íamos fazer a ronda pelas várias capelas mortuárias para ver os mortos. Lembro-me de o meu irmão dizer: esquisito aquele tem a cara tapada com um lenço, bora tirar? Respondo eu: sim é melhor porque ainda pode sufocar. Era uma velhota e claro a família correu connosco. Oh mana coitada tu viste o ar roxo dela? É o que eu te digo, estava a ficar sem ar!!!

5- Visitas a famílias queque: a ladaínha de sempre: meninos portem-se bem. A roupa era feita pela minha mãe. Tínhamos a de andar no quintal e apenas dois conjuntos para sair. Mas odiava os vestidos com folhos, laços na cabeça e as sandálias amarradas com elástico para eu não as tirar. Ele odiava os calções de fazenda, os suspensórios e o famoso lenço na camisa. Um desatino por completo. Lá íamos os três e a minha mãe grávida do 4º. Entravamos e diziam logo olha a "famosa Fatyly" que vem tão bonita. Pois venho, mas estou a morrer de fome e o meu irmão também. Ainda hoje tenho pena da cara dos meus pais... De regresso já vinha descalça, sem laços e com o vestido todo cagadinho. Ele a agarrar os calções porque os suspensórios já era. Muita lambada levamos...mas emenda? zero! A minha irmã mais velha era sempre exemplar.

6- Nasceu o meu irmão João que morreu com 21 anos, e a minha irmã mais nova. Portanto éramos 5 filhos, mais dois sobrinhos da nossa queria MR que foi para nossa casa quando eu estava para nascer, e duas miúdas filhas da lavadeira que também foram criadas connosco. Portanto num total de 9 miúdos e 4 adultos. Aos fins de semana havia um doce feito pela MR. A minha mãe levantava-se para pegar no seu ganha-pão - a costura - e quando o meu pai estava em viagem, instruido por nós o meu irmão João começava a dizer as maiores porcarias, e resultava, enojados iam-se levantando deixando os doces e nós, oh, oh era a dobrar!

7- O meu irmão João com 4 anos engasgou-se a comer uma maçã. O meu pai viu-se grego e lembro-me de subir ao cajueiro e a pôr-me a gritar como "o tarzan" e os vizinhos que já me conheciam apareceram todos e lá conseguiram pôr o rapaz a respirar. Muito mais tarde teve uma nefrite aguda nos rins: repouso, dieta rigorosa e não é que eu e o meu cúmplice demos-lhe as bolachas e logo de chocolate e marmelada, que tinhamos recebido? Foi parar ao hospital e antes de irem eu disse o que tinha feito, o meu pai não me bateu, mas a minha mãe partiu a régua da costura no meu rico rabinho e ainda lhe disse: bem-feita! O meu irmão escondeu-se em cima de uma árvore!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Leitura que recomendo...




















(Compilação de várias crónicas publicadas pelo Destak, que disponibiliza várias sugestões, para que pais e filhos encontrem o caminho mais certo!)

Sei que não gostam de posts grandes, mas recomendo que leiam esta que achei tão acertiva:

Os anti-pais natais são uns infelizes

Vive no pólo norte, numa casa onde acabou de instalar aquecimento central, a pedido do seu braço direito - o Urso Polar - , dos duendes e até dos seus inimigos, que ficavam com as mãos geladas quando faziam incursões para roubar os presentes guardados na cave.
É absolutamente mentira que haja uma Mãe Natal. Não há, nem nunca houve. O Pai Natal sempre se manteve orgulhosamente só, e da sua vida amorosa ou sexual pouco ou nada se sabe, se é que há alguma coisa para saber. A imprensa tablóide daquele lado do planeta ainda procurou insinuar que era pedófilo. Na sequência de queixas anónimas, a polícia fez um raid ao seu computador e correspondência, mas as únicas palavras que surgiam invariavelmente em todas as cartas, eram Barbie e Playstation. Ainda se pensou que era uma pista, dois ou mais comentadores abordaram o assunto no telejornal das oito, mas o Supremo Tribunal do pólo norte mandou internar o responsável pela rusga, alegando que só alguém com uma mente doente procuraria denegrir a reputação do Pai Natal. Um procurador de um país europeu insignificante ainda tentou enviar uma comissão ao pólo sul para investigar o caso, com a «seriedade e isenção» que o caso merecia, palavras suas, mas os pobres foram corrido a bolas de neve por duendes e gnomos.
Tudo isto passou ao lado do Pai Natal, porque quem trabalha a sério, e há séculos sem fim, a favor dos mais pequeninos, já há muito que deixou de valorizar estas tentativas mesquinhas de gente que tem o coração tão gelado que não acredita nem na magia, nem na bondade. O Pai Natal já tem uma estante cheia de livros de filósofos e economistas de todos os tempos que escreveram variantes daquele livro que garante que não há almoços grátis. Guarda-os, declarou uma vez numa entrevista, porque precisa de alguma coisa que o recorde de que há mentes mesmo muito perversas e jura que todos aqueles escritores nunca receberam mais nada para além de carvão no sapatinho.
E mesmo assim não aprenderam a lição. Infelizmente, revela, são estes, ou clones destes, que decidem convencer os filhos de que o Pai Natal não existe e é uma invenção de mentecaptos que preferem viver num mundo de fantasia a enfrentar a realidade tal como ela é. Além do mais, tentam destrui-lhe a imagem, explicando às crianças que a barriga proeminente resulta de um excesso de calorias consumidas, chamando-lhes a atenção para o risco de virem a ter hipertensão arterial e diabetes, todos aqueles que procurem imitar o «velho das barbas», como lhe chamam. Falam em colesterol, HDL e LDL, descrevem mortes agonizantes e pavorosas e esquecem-se que o Pai Natal tem centenas de anos e uma saúde à prova de bala. Os anti-pais natais, que no fundo são anti-natal e anti-felicidade, troçam dos sobrinhos que deixam leite e bolachas ao lado da chaminé, considerando que o seu comportamento é «inadequado». Se ao menos fosse uma maçã ou uma cenoura! Mas mais do que isso, criticam os pais dos sobrinhos, irmãos ou cunhados, ou apenas os vizinhos, tanto faz, porque consideram que estão a deseducar os mais novos.
O Urso Polar queria correr com eles à paulada ou soltar-lhes os ogres aos calcanhares, mas o Pai Natal disse que não valia a pena, porque os filhos inteligentes dão um desconto a estes pais e continuam a pôr a meia ao fundo da cama e a vê-la encher-se todas as manhãs de natal, mas não contam aos adultos o que lhes aconteceu, para não os chatearem. Os adultos, coitados, diz o Pai Natal, que já inspirou milhares de especialistas em neurociência e psicologia, que hoje falam destas coisas como se as tivessem aprendido sozinhos, foram tão maltratados em pequenos que, no fundo, estão só a tentar poupar as suas crianças de uma dor semelhante. Ao estilo, «se ele nunca sonhar com nada, nunca vai ficar desiludido».
O Pai Natal acredita seriamente que estas crianças vão encontrar o seu caminho para a Terra do Nunca, mas a mim apetece-me ir buscá-los num trenó guiado por uma rena de nariz encarnado e brilhante, e trazê-las para o pólo norte, onde arranjariam um canto em ninguém lhes moesse a moleirinha.
Se alguém se quiser juntar a mim, ainda temos uns dias para os resgatar dos adultos que lhes querem estragar o Natal.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Parabéns Wind!

Porque hoje és bébe, pedi a este senhor que tocasse especialmente para ti.

Como sabes ele é "podre de bom" e foi díficil escolher uma e não é que ele resolveu tocar esta e vestir uma camisa tropical e pôr o gorro que lhe dei? :)

Por tudo e sobretudo por seres minha amiga desejo-te tudo de bom e ACREDITA que é tão BOM VIVER e que venham muitos e muitos mais anos!





Um dia feliz e recebe aquele abraço sincero e uma beijoca gandiiiiiiiii

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Vasculhando Sótãos...

Cidade do Cagalhão - de: O PreDatado - 20/12/2003

Não vou falar das outras cidades. É nesta que me movimento, srª D. Maria Emília.. É na cidade de Almada que faço a minha vida, Srª D. Maria Emília. Talvez a senhora só se movimente a pé quando acompanha tudo quanto é autoridade governamental para fazer inaugurações. Mas eu, srª D. Maria Emília não tenho carro com motorista de serviço para me deixar onde eu quero e por isso tenho de me deslocar a pé. Mas esse não é o mal.. O mal é o meu pescoço e a minha cabeça srª D. Maria Emília. Pode perguntar o que têm os seus pés a ver com o pescoço e com a cabeça? Então eu explico srª D. Maria Emília... é que eu não consigo andar a pé em Almada sem andar a olhar para o chão.. nem imagina quanto isso me dá cabo do meu já bem mal tratado pescoço. Não, não tenho medo de mostra a cara srª D. Maria Emília... tenho os impostos em dia! Só que ao contrário de outras pessoas, não posso afirmar "Saio à rua de cabeça levantada". É que se o fizer acabo por pisar tudo quanto é cagalhão de cachorro por essas ruas de Almada. (Já agora a titulo de parêntesis lhe digo que me queixo da cabeça, porque este meu movimento de andar sempre a olhar para o chão não me deixa ver os postes de electricidade nem os sinais de transito, e vai daí ... é cada galo na cabeça). Pois srª D. Maria Emília, a Srª até pode argumentar que não são os seus cãezinhos que cagam na rua. Pois bem. Mas os meus é que não são, porque eu nem tenho cães. Também lhe posso afirmar, sem qualquer possibilidade de ser desmentido, que eu não sou Presidente da Câmara. A srª D. Maria Emília é que é. Se não há leis que obriguem os donos dos cachorrinhos a limpar a merda que eles fazem, então srª D. Maria Emília, mande limpar os passeios. E todos os dias, não é só quando há inaugurações (ou eleições), entende? Mas se há leis, faça cumpri-las. Eu é que já não aguento mais as dores de pescoço!!!

PS. 1. Hoje tive a infeliz ideia de levantar a cabeça para cumprimentar na rua um dos seus vereadores, meu conhecido. Resultado: Caguei os sapatos!

PS. 2. Este recado é também para o sr. Alfredo Monteiro. É que, apesar de eu fazer praticamente toda a minha vida diária no concelho de Almada, resido no do Seixal. E, sr. Alfredo Monteiro, sorte minha eu não conhecer nenhum vereador do seu elenco. Já viu quantas vezes eu teria de limpar a merda dos pés por dia?


A merda do costume - de: Kruzes Kanhoto - 21/03/2008















Por insistência de alguns leitores, na verdade foi só um (...) volto hoje ao tema que notabilizou este blog e fez dele o décimo mais lido de Estremoz. O que até nem é mau porque apenas há nove e um deles é só para imbecis, perdão para convidados.

Como se constata, as autoridades a quem compete fazer cumprir a lei quanto à circulação de canídeos na via pública manifestam uma tolerância inusitada relativamente aos donos dos ditos. Não há notícia da aplicação de uma única coima por os animais passearem na via pública sem açaimo e/ou sem trela, nem tão-pouco por os donos não recolherem os dejectos que os seus amados bichinhos vão largando na via pública. Que por acaso até é de todos.

Meus irmãos















Portugal é lindo mas só uma "parte deste tamanho" é isento de "poias de cães", mas não se preocupem porque onde ides passar foi tudo revisto e removido!

(meu)

(não pus os links porque não deu, mas os blogues estão na barra lateral)

domingo, 28 de novembro de 2010

sábado, 27 de novembro de 2010

Marinho Pinto reeleito com maioria absoluta











Como bastonário incomou muita gente, alterou e pôs ordem na "Ordem dos Advogados", criticado e perseguido por vários para não dizer imensos ilustres da nossa praça, que em debates disseram o que disseram e afinal algo mudou neste país.

Cada um que tire a sua ilação.

PARABÉNS DR.MARINHO PINTO e nunca deixe de ser a figura controversa mas frontal, verdadeira e "sem medos" que foi durante o anterior mandato.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Engodo ou será impressão minha?





Não há nenhum programa de entretenimento desde a RTP até à TVI que não instiguem o consumidor a ligar para o 760..., "e ligue, insista, cole o número no espelho, na porta, vá lá, quanto mais insistir verá isto e mais aquilo, e...e...no final ainda pode ganhar um carro".
Para ter uma ideia vi "pedaços" de quase todos e raramente apresentam assuntos com conteúdo cultural mas muitos de "baixo astral"!
Não tenho pachorra para os ver e muito menos embarcar em telefonemas para os 760...
Só fiz três chamados 0,60€ + IVA, "no apelo para ajudar a Madeira, o Haiti, e outro julgo da AMI" e não me recordo se foi inserido nestes programas ou em "directos".
A culpa não é dos programas pois os concursos têm "regulamentos" e só embarca quem quer!
Em todas as operadoras há pacotes "com chamadas gratuitas" mas nenhuma contempla o 760..., já que é de todo o interesse que ninguém diga nada a ninguém, ou que explique por exemplo a quem tem mais dificuldade em perceber o engodo, que o exagero deste tipo de chamadas, numa tentativa desesperada de...pode levar a facturas astronómicas e sem qualquer resultado de ser o(a) feliz contemplado!
Embora com as mesmas dúvidas e probabilidades, se querem tentar a sorte, que joguem 2€ por semana no Euro Milhões, no final do mês serão 8€ (que parte reverte para instituições da Stª.Casa, será?)) e não alimentar burros a pão-de-ló porque sempre fui muito céptica com este tipo de concursos e ou votações para concorrentes!

Como também nunca joguei nas máquinas dos casinos, nem faço a mínima ideia como são, só sei que se perde muito dinheiro, ou seja...não compensa!

A meu ver, e se estiver enganada corrijam pf, já está tudo previamente cozinhado!

domingo, 21 de novembro de 2010

Sintra troca iluminação de Natal por apoio social



"O aumento dos pedidos de ajuda levou algumas juntas de freguesia de Sintra a abdicarem da tradicional da iluminação de Natal para, em vez disso, comprarem bens alimentares e ajudar famílias carenciadas." (Diário Digital/Lusa)



Adoro o Natal, mas aplaudo de pé uma medida que subscrevo inteiramente.

Porque o exemplo tem de vir de cima, lamento que sejam apenas "ALGUMAS" (já tiveram o meu protesto) quando deveriam ser "TODAS AS JUNTAS DE FREGUESIA DE NORTE A SUL DO PAÍS".

O mesmo aplicaria ao tradicional fogo de artificio do fim do ano que para mim o som, maldito som que não esqueço é como "brincar às guerras"!

Sim é verdade, temos pela frente uma outra guerra, mas se cada um de nós "bater o pé junto da sua Junta e Câmara Municipal" por esta e outras medidas e denunciar/lutar contra a roubalheira que se sabe mas que teimosamente continuam a viver à grande e à francesa à custa de quem agora envergonhadamente "estende a mão", ACREDITO que sairemos do buraco onde nos meteram.

O mesmo deveremos fazer perante instituições - como funcionan, quem são, e o que fazem? e aqui englobo também todas as religiões versus igrejas!

Concordas? então mãos à obra e não "guardemos para amanhã o que poderemos fazer hoje!

(foto de Pedro Macieira-Blogue Rio das Maçãs)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Gosto...














Gosto de observar o mundo que me rodeia, fechar os olhos, adormecer a transformar o que vi. É um exercício quase diário mas que não abro mão!

Gosto muito de mim como sou, com imensos defeitos e qualidades mas com "um sótão" arrumado, organizado e bem resolvido dentro de gavetas que só são abertas pela positiva, porque as outras teimo em que fiquem perras.

Gosto de estar a par do que se passa nos meus dois países - o que me deu colo e o que me acolheu, mas sinceramente por já ter visto a mesma dança política e actual, já não tenho pachorra de os ouvir e não sofro por antecipação.

Gosto dos meus e por eles virava tigre assanhado e violento.

Gosto deste Senhor e do que o seu sorriso me transmite e como gostaria de o ver perto nem que fosse por segundos, agora que estará dois dias em Portugal e dizer: ainda bem que há homens como tu e deixo como exemplo "partes de um artigo muito interessante que li" de quem pensa como eu :












"Com a eleição histórica do primeiro negro a ser presidente da maior potência mundial, os Estados Unidos da América e o mundo se curvaram diante do sorriso de Barak Obama. Craque em oratória e dono de um carisma contagiante, Obama teve uma trajetória meteórica na política americana, alcançado a presidência dos Estados Unidos em pouco mais de dez anos de carreira política.

(...)Precisamos vencer preconceitos e mudar radicalmente os paradigmas atuais. Nossa sociedade precisa urgentemente diminuir a distância entre as classes sociais, a fim de que cada um tenha acesso à sua parte do “bolo”.(...)

Espero que o “sorriso de Obama”, nos ajude a trilhar esse caminho.

Julian Faria. (DAQUI)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Rentrés políticas...



















e o POVO é que PAGA!

sábado, 13 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Procedimentos!



















Dizes mal de tudo
que faz a sociedade,
dos familiares, dos amigos
até dos vizinhos
que não conheces
dos animais, da natureza
até do que não percebes!

Faz tu melhor
o que apontas aos outros
Faz tu melhor
no espaço que ocupas
Faz tu melhor
sem mágoas e lamentos
mas dando exemplos!

Pega na pá com o coração
amanha a terra do teu ser
ao teu jeito verás
que tudo na vida
tem a sua razão de ser!

Que ninguém é perfeito
que a tua imperfeição
é maior, bem maior
do que d'aqueles
que queres ver
no chão!

e Eu? sim eu...
imperfeita como sou
sempre fiz
da areia da praia
a minha cama
do mar calmo ou bravio
o meu lençol
ilumino o meu caminho
com o brilho do sol!

Nas noites escuras
peço à lua um carinho
e com um sorriso
de criança
num corpo envelhecido
adormeço na esperança
que aprendas comigo!

Fatyly
(2008)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

PARABÉNS MINHA NETA




















pelos teus lindos cinco aninhos. Esta semana continuarás comigo, mas hoje vou levar-te à escola para lanchares com os teus coleguinhas e com a mana, e cantarem os parabéns com muita, mas muita alegria.

A mamã vai lá ter e depois ao jantar será com o papá.

Amo-te muito meu amor!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Pão por Deus!



















Um dia em que a pequena anda de porta em porta a pedir. Muitos recusam e outros, nomeadamente nos meios mais pequenos, vê-se os velhotes sentados à porta à espera dessa lufada de ar fresco.

Lembro-me do grupo das minhas que tantas vezes o fizeram e hoje por aqui são pouquíssimos os que aparecem.

Sempre soube desta tradição mas só há bem pouco tempo li a sua verdadeira origem na Wikipédia que é a seguinte:

"(...)Com o passar do Tempo, o Pão-por-Deus sofreu algumas alterações, os meninos que batem de porta em porta podem receber dinheiro, rebuçados ou chocolates. Esta actividade é principalmente realizada nos arredores de Lisboa, relembrando o que aconteceu no dia 1 de Novembro de 1755, aquando do terramoto de Lisboa, em que as pessoas que viram todos os seus bens serem destruídos na catástrofe, tiveram que pedir "pão-por-Deus" nas localidades que não tinham sofrido danos.(...)"

Se vos baterem à porta não neguem porque felizmente ainda há pardais puros e inocentes e "Faça o que puder, com o que tiver, onde estiver.(Theodore Roosevelt)" .

Também quero, truz, truz...amigo ou amiga...Pão por Deus, o que me darás?

(imagem Google)

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Hoje apetecia-me...



















Posso?














e porque a VIDA é feita de NADAS, vamos a banhos de espuma positiva!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

VIROSE - fruto da época!

Surgiu uma virose da época nos garotos com duração de 24/48h - dores de barriga, várias vezes na casa de banho (período que pode ser transmissível) e uma semana após pode surgir nas crianças mais debilitadas, dores nas articulações começando pelos pés e uma leve conjuntivite, mas sem febre alguma. Tem um nome pomposo: Artrite reactiva (ao desgraçado vírus).

As minhas netas foram brindadas. A mais velha felizmente ficou bem, mas a "magrela" como se não bastasse a operação a que foi sujeita,(a tal debilidade mais que normal por ter sido há tão pouco tempo) teve brinde a dobrar "as dores nas articulações" com direito a incharem e consequente mal estar do caneco.

Foram no sábado às urgências preocupados com o inchaço a nível dos joelhos, na articulação de um dos braços e conjuntivite. Vista, revista e com análises à mistura, confirmaram a virose. Mandaram lá ir hoje à pediatra ver a evolução e UFAAAAAAA está quase debelada. Irá tomar algo que não fixei e sobretudo um reforço vitamínico.

Pode brincar, passear mas uma semana longe do rebuliço da escolinha, só lhe fará bem e para que servem as avós? Tal e qual...amanhã vou entrar ao serviço!

APRE e porque já chega de pedragulhos no meu caminho, a partir de hoje quero e exijo

domingo, 24 de outubro de 2010

PARABÉNS MINHA MÃE

















Numa vida já com vários patamares, hoje completas 81 anos. Adoro-te minha mãe e tu sabes bem disso.

O ano passado não quiseste ninguém e "os de sempre" apareceram "com tudo" sem dares por isso e ficaste comovida com a surpresa.

Esta ano tinhas tudo planeado teres a mesa posta e a casa cheia, mas a vida pregou-nos a partida com o teu genro que ainda está hospitalizado mas já quase bom e com a ida de ontem da tua bisneta (minha neta) novamente às urgências hospitalares.

Eu sei mãe, não houve tempo nem disposição para nada, mas fiquei triste, muito triste.

Mas hoje depois de ter ido a casa da filhota e ver a gaiata, fui ter contigo e dei-te aquele abraço em nome de todos e todos tiveram o cuidado de falar contigo.

Quando tudo estiver mais calmo o que está quase, havemos de fazer uma almoçarada e desta vez não será adiada.

Beijos minha mãe!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Oh português quando é que abres os olhos?

Treino para a próxima "mega" manifestação versus festarola da CGTP e UGT, onde uma vez mais todos se irão aproveitar de um dia em beleza esquecendo-se que no final do mês serão menos euros que entram nos bolsos e nas autarquias que irão pagar o transporte até à capital. Também poderão aproveitar para ver e apreciar o enorme estaleiro Lisboeta! Mais, não se esqueçam de devolver as "bikes" que irão ser recolhidas no fim!













O TGV de Sócrates que foi perdendo carruagens num país de "sacanas e ladrões" que nunca foram incriminados e os que foram...continuam a desfrutar da sua vidinha e rendimentos à custa de uma justiça que só funciona para quem rouba tampas de sarjetas ou para quem bem doente tem que ir trabalhar de maca!













O Ministro da Administração Interna Rui Pereira, bastante competente, sempre atento com a diminuição da criminalidade, dispensou o seu "carrão" e optou por este veículo mas precaveu-se não vá ser surpreendido com a sua alucinação e desvario mental!















Portugal irá ter novo rumo, longe dos actuais oportunistas políticos a todos os níveis, mas para isso o povo deverá virar "político ou estar mais dentro da política para que na hora do tira-teimas, saber o que fazer com o boletim de voto!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Leitura que Recomendo

"Morrer é só não ser visto - Inês de Barros Baptista














A morte é a Curva da Estrada

A morte é a curva da estrada,
Morrer é só não ser visto.
Se escuto, eu te oiço a passada
existir como eu existo.

A terra é feita de céu.
A mentira não tem Ninho.
Nunca ninguém se perdeu.
Tudo é verdade e caminho!

Fernando Pessoa


"Num livro corajoso, a jornalista reúne aquilo a que chama 13 histórias de «lutos positivos». O título é retirado de um verso de Fernando Pessoa e Inês de Barros Baptista usa-o para retirar o fatalismo que considera estar associado à morte.

«Sem querer ser pretensiosa», a autora espera que o livro ajude as pessoas a lidarem com a inevitabilidade da morte, dizendo que ela, a morte, não tem de ser necessariamente o fim. Pode mesmo ser o início de outro tipo de «relação», como disse numa conversa desassombrada com a Lux." in Lux.pt
.......................
Falo da morte como falo da vida, aceito a morte como aceito a vida, porque ambas estão ligadas e falar da morte ainda é tabu, porque conscientemente ou inconscientemente julgamo-nos imortais. Já tive imensas percas e faz parte de mim fazer bem, ajudar, conviver em vida e quando partem como eu também um dia partirei, choro, revolto-me naturalmente mas instala-se a paz de que fiz tudo enquanto foram vivos e estejam onde estiverem, para mim uma autêntica incógnita, nunca me incomodaram. Falo deles como se estivessem presentes e sem "filmes fantasiados", por exemplo do meu irmão, do meu pai e dos gémeos com quase 7 meses de gestação que morreram ainda dentro de mim e que me neguei a ver o "horror" em que estavam não tendo feito sequer o funeral, mas sim entregue "aos estudantes de Medicina" (não me recordo o nome exacto da entidade de então). Com este último caso fui severamente criticada por alguns católicos fanáticos a quem mandei comer erva!

Adorei ler este livro por ser uma autêntica reflexão com casos reais e não romanceados. Foi perceber um pouco mais como pessoas tão distintas (ninguém é igual a ninguém) que ficam, lutaram e lutam após a perca de quem lhes é tão querido, torneando o trauma dantesco numa "obrigação" tenho que continuar a viver e não apenas sobreviver, onde todos nós (des)crentes
(porque ninguém está livre de passar pelo mesmo) construímos e acreditamos e ou agarramo-nos a ALGO (a que eu chamo fé) sendo a plataforma de superação e aceitação.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Para pensar mas não desanimar...

A Senhora magrela bem que avisou...mas estava amarrada a outra senhora que é quem manda e no que deu internamente?

















1- Pedantes, birrentos, mentirosos e já cheios de "tanto roubarem", para taparem o "buraco que fizeram" optam pela forma mais fácil e carregam naqueles que tentam fugir, mas não conseguem e não procuram os "verdadeiros evadidos fiscais"














2- Um deles lava laranjas a ver se será o próximo "desgovernado"...














3- Outro encurralado e numa acalmia vergonhosa, engendra como não perder o isco das mordomias do seu status assim como dos seus familiares e amigalhaços enquanto...
















4- Portugal, ironicamente PS...


















(foto recebida por email)

5- Já faço parte do ramalhete dos velhos, mas passei tantas crises e a pior foi uma guerra. Ajudo os meus no que posso e digo e faço "o que tantas vezes disse e fiz": Há que dizer aos filhos um Não explicativo, passear num jardim, à beira mar, deixar o carro em casa,dar uma volta de bicicleta, levar comer de casa, fazer bem as contas antes de... ou seja cortar no que podemos cortar...porque melhores dias virão mas JAMAIS devemos deixar de pintar a vida de Esperança,

domingo, 10 de outubro de 2010

Eureca...para o dia 10 do 10 do 10:)

Já não me lembrava o que o meu avô me ensinou e eis que dei de caras com este video. Tal e qual e com folhas de várias cores vai ser lindo...oh se vai, com nova "forma" de entreter as netas que adoram toda a espécie de animais e estar farta de vários tipos de aviões, barquinhos e armónios!

Há dia o jardim parecia um aeroporto e um porto:)))

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Leitura que recomendo!

CARMINDO PINTO DE CARVALHO















Como tenho outros do mesmo autor e que gostei imenso, mais um será adicionado.
É recomendado também pela BUBOK e caso estejam interessados vejam e obtenham
AQUI

PARABÉNS MEU AMIGO e nunca deixes de escrever!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Saber Viver



















Torno a carga mais leve
nunca tomo o seu peso
com ela faço um ultraleve
não paro nem esmoreço!

Fatyly

domingo, 19 de setembro de 2010

Um poema que me diz tanto!

Reflexão




















Cantam as andorinhas
Nos telhados,
Cantam todos os pássaros,
Cantam crianças
De mãos dadas,
Cantam quase todos
Os seres da natureza.
Só nós Homens não
Cantamos,
Não cantamos
Por inveja
Por mil motivos e mais,
Cantem pássaros
Com crianças
Façam o Homem
Acordar.

de: setesois seteluas

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Com tomates!














No sentido que o povo dá, sou de facto uma mulher "com tomates" regida pelo optimismo que sempre me caracterizou e sem qualquer problema algum falaria com Cavaco Silva como falo com um sem abrigo.

Sou defensora/lutadora em absoluto pelos "direitos fundamentais do ser humano", actuando, dia após dia até onde os meus braços chegam.

Hoje tenho uma bagagem que me dá muito prazer partilhar com todos neste mundo em constante transformação e nessa partilha com quem vou lendo e convivendo aprendo igualmente.

Não nasci em berço de ouro, mas de um modesto casal que nos ensinaram como enfrentar a vida.

Depois da guerra onde vi o que muitos só vêm através da teoria e ou imagens, tive a sorte de ter tido uma carreira profissional que foi outra escola de vida, um grupo de colegas que foram o meu aconchego e duas filhas que foram e são o meu porto seguro, como eu sempre fui e sou, delas. Agora os netos...são a sua continuidade e para mim... a tal piscina onde dou umas braçadas com três carrapatos atrelados para não dizer coladinhos!

Uma mulher "com tomates", ou seja guerreira, coerente consigo própria, sem mas nem meio mas, que pega pelos colarinhos quem permanece parado nas agruras da vida, com mais adjectivos que não vale a pena mencionar é sempre assustadora para a maioria dos homens e para as mulheres nem se fala!

Posso dizer que há duas palavras atomatadas que uso sempre sem qualquer constrangimento:

- DESCULPA quando erro e erro muitas vezes
- OBRIGADO quando aprendo com os outros e com os meus erros

Resumindo e concluindo...quem nasce torto tarde ou nunca se endireita, hoje perante uma situação caricata em que entrevi, acalmei e solucionei e ao ouvir esta expressão, resolvi partilhar com quem me lê, porque quem me conhece sabe que é verdade!

Daí vos dizer, apelar, para que ninguém tenha medo de "ter tomates" porque todos somos capazes de ultrapassar e dobrar as esquinas da vida. Basta ter vontade férrea de as vencer de coração aberto!

Fotografia de José Rui Fernandes

terça-feira, 7 de setembro de 2010

AUSENTE

porque no domingo à noite e já na madrugada de segunda a minha neta mais pequena foi operada de urgência. Pensavam ser apêndice, que de facto foi retirada mas o mal estava numa "peça congénita a mais que resolveu inflamar" junto do intestino que em nada foi afectado.

Agora recupera lentamente mas no caminho certo.

Estou na retaguarda a e de todos, mas sobretudo à neta mais velha e ACREDITO que passará rápido apesar da "paulada" que todos levámos.

Peço desculpa mas por agora a vontade de vir aqui é ZERO, mas mi aguardemmmmmmmm!!!

Um abração!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Esquinas da Vida!




















Com a idade tornamo-nos desconfiados de tudo e de todos e a maioria com essa postura quase deixa de viver fechado na sua redoma. O medo é um sentimento corrosivo que nos tolda os movimentos. As crianças crescem súper protegidas debaixo desse toldo, não ganhando defesas quando têm que enfrentar o "mundo escolar" onde os pais e ou educadores devem ser mais participativos. A educação tem que vir do berço e não esperar que os professores façam esse papel!
Sei que não é fácil, mas há que saber dosear as coisas, porque já não sendo nova e tendo passado o que passei, ainda consigo dizer: eu vivo sem valorizar "medos" e andar p'ra frente sem "bengalas emocionais" que muitos dependem porque esperam que lhes caiam do ceú!
Os amigos e até familiares que se afastam, deixá-los em paz, porque o que importa é estarmos conscientes de que nada de mal lhes fizemos e não pararmos no "pantanal" de que só se lembraram de nós enquanto precisaram. Nada disso...
Procurar meios e saídas para ocuparmos o tempo, nomeadamente para quem está reformado, doente ou até desempregado, é a melhor ferramenta para não entrar nas esquinas da solidão, depressão ou tristeza e nunca refugiarmo-nos apenas neste mundo de cabos.
É o que eu penso...é o que eu faço...é o que ensino e enquanto puder "deito a língua de fora" às agruras da vida sem nunca perder o meu optimismo e sorriso.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Vasculhando um sotão...

que leio há anos e cada vez está mais surpreendente pela POSITIVA e sobretudo pela positividade que coloca nas suas "reflexões sempre sucintas mas cheias de tudo". Mas estas três guardei-as na minha memória...que como ele escreveu: "A memória é sabermos onde estamos. Os passos para o futuro têm que ter como sustentáculo essa memória tão necessária...".

Não é graxa ao "Sir mfc" nem fazer publicidade para que passem por lá e muito menos menosprezar todos os outros que frequento porque irei publicar o que "retive dos meus livros de bolso".

Ora vejam















As brincadeiras inocentes e despreocupadas que tínhamos. Ainda as sentimos cá dentro e teríamos vontade de as repetir, se não nos vissem como ridículos!
... ou nós a nós próprios!
Pé de de meia... mfc - 19/07/2005

















Desfilaram um dia garbosos, todos vestidos igualmente de caqui, alinhados ao som de tambores e música marcial. Disseram-lhes que tinham uma missão... defender a Pátria! Tinham pais, irmãos, amigos e amores. Hoje continuam alinhados e alguns têm apenas quem os chore. Que raio de missão esta!! Nenhum Poder merece uma vida.

Pé de meia...mfc - 30/10/2006
















Dói-me ver uma árvore decepada. Sei que é necessário... mas dói-me na mesma! Levantadas, fazem parte da imagem edílica que temos da floresta. A sua pujança contrasta agora com a sua amputação. É que também os homens caídos deviam ter oportunidade de se levantarem, já que não há sub espécies humanas!
Pé de meia... mfc - 13/12/2008

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Por cá seria uma boa solução?

Criar o Ministério da Corrupção












Acho que o problema é que a corrupção é mal explorada no Brasil. São recursos imensos que passam de mão em mão sem que o país lucre com isto. Muitas vezes os recursos vão para o exterior, quando podiam ficar aqui, movimentando nossa economia. Pode-se fazer um paralelo entre o mau aproveitamento do nosso talento para a corrupção e a exploração do ouro do nosso solo. Que, como a corrupção, também é feita a céu aberto, com métodos pouco sofisticados e com grandes perdas para os cofres da nação.

A corrupção é outra riqueza natural do Brasil que está se perdendo, não por falta de verbas - no caso, há um excesso de verba - mas por falta de racionalização. Temos alguns dos maiores corruptos do mundo agindo por conta própria, na inspiração do momento, sem método e sem orientação. O próprio governo dá mau exemplo. Há corruptos em diversos ministérios, cada um agindo em faixa própria. Um hipotético corruptor que precise de favores ilícitos de mais de um departamento governamental perde tempo e dinheiro indo de um lado para o outro - sem contar, claro, o tempo que gasta na sala de espera, entre outros corruptores, esperando a sua vez, muitas vezes para descobrir que procurou o corrupto errado. Tudo isto seria evitado com a racionalização da corrupção no país. As pessoas se espantam com as cifras de um caso Coroa-Brastel, por exemplo. Mas é inimaginável o que poderia ter sido atingido se houvesse uma legislação específica para o setor. Os corruptos se ressentem da falta de normas. Muitos não realizam todo o seu potencial porque não sabem até onde podem ir. Como raramente são denunciados e nunca são punidos, os corruptos brasileiros não têm parâmetros para julgar o seu trabalho. Não há incentivo. Não há reconhecimento para o efeito multiplicador da corrupção na economia. Os corruptos formam um dos segmentos mais empreendedores e imaginativos da sociedade brasileira. O descaso das autoridades com eles equivale a um desperdício que a nação não pode tolerar, ainda mais numa época de crise. A solução talvez fosse a criação de um Ministério da Corrupção que centralizasse esta importante atividade e a regulamentasse. Existem vários corruptos eminentes que se prontificariam a assumir o Ministério, até sem receber nada, só para ter o ponto. O Ministério estabeleceria metas e cotas para a corrupção e, dependendo da disponibilidade, subvencionaria o pequeno e o médio corrupto, em troca de comissão. A verba para o Ministério da Corrupção não seria alocada, como para os outros Ministérios. Seria desviada. O Ministério participaria das reuniões do gabinete, mas embaixo da mesa.

Etc., etc.

Luis Fernando Veríssimo(foto Google)

sábado, 7 de agosto de 2010

Sábado em grande!

Hoje fui almoçar a casa da filha e comemos uma bela















As filhas e genros estão bem, as netas umas malandras, a minha mãe feliz mas o rei da festa foi o benjamim que já anda e além de comer de tudo é doido por melancia, Já se faz entender muito bem e se não lhe ligarem encarrega-se de falar mais alto para ser ouvido ou dizer com um ar de malandreco: então?

Observador não te convidei por saber que "adoras sardinhas" e podias comer demais e fazer-te tãoooooo mal!

Agora nem imaginam onde vou e pela primeira vez, porque há sempre uma primeira vez.
Quem me acompanha há muito sabe que detesto fado e que nunca fui a nenhuma casa de fados ou algo do género. Pois bem meus amigos, aqui mesmo ao lado do meu prédio, existe um café onde se junta um grupo enorme bem disposto e falante, quase todos vizinhos e redondezas, sobretudo agora com a esplanada. Tem uma passagem da minha rua para a outra de trás que é fechada às 20h pelos lojistas.

Resolveram fazer uma noite de fados e fui convidada. Bastava chegar à janela da varanda de trás que via e ouvia, mas é sempre diferente estar no convívio, com jantar e tudo.

Não faço a mínima ideia quem são os



















e os fadistas, mas com gente bem disposta e com este tempo maravilhoso e sem pingo de vento, vai ser um fim de tarde muito bom, porque são todos super bem dispostos!

Ah... existe uma ementa e soube logo de manhã, que para mim em vez de chouriço há farinheiras...como me estragam com mimos!

Inté!
..................................
Acabei de chegar, uma da manhã hei:) e gostei imenso, mas do que gostei mais foi dos sons das guitarras, de quatro fados à desgarrada e de alguns bens antigos mas nada, nada tristes.
Valeu a pena e como já é domingo: UM DIA FELIZ PARA TODOS!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Pensamentos meus!

Perante um amigo ou alguém que te fere, não mostres má cara, não respondas, apenas olha nos olhos ...e sorri... seguindo o teu caminho!

Preocupa-te pelos que te rodeiam, porque se fizeres isso verás que os teus problemas se tornam mais leves!

Quem é gabarola, das duas uma: ou faz mesmo e ao gabar-se é um artola, ou não faz nada e vive numa gaiola!

Gosto de ti pelo que és e não pelo que me dás materialmente! Devolvo para parares e pensares!*




* Um recado que deixei a um colega meu (em Angola e que nunca mais o vi) e a resposta foi deliciosa mas totalmente desconcertante:

"Miúda já parei e pensei mas esbarro sempre na mesma tabuleta: Gosto de ti pelo que és já que a "matéria de que és feita por dentro e por fora" é boa demais e difícil de encontrar!"


Também gosto muito de todos vós e pelo que deixam nos vossos espaços, fazendo deles os meus livros de bolso! Obrigado!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Morreu António Feio

ontem à noite, vitima da doença que era do conhecimento público.












Foi-se o homem e ficou a obra. Tudo o que se possa dizer deste homem jamais será "Conversa da Treta", nome dado a uma das muitas obras que participou e que eu não perdia. Alegre e bem disposto é a imagem que tenho e guardarei com saudade!
Que descanse em paz