quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

2- Coisas que ainda hoje me fazem rir!

1- Namorei o X, que era o vizinho da frente, dos 6 aos 12 anos! Todos sabiam e as outras miúdas quando diziam que eu namorava um "panhonha", levavam uma tampona e com o respectivo aviso: se voltas a dizer isso do X não brincas mais com a gente. Ele era o mestre na fabriqueta das equipes de futebol de caricas, dos carros de rolamentos, estes gamados da pilha de pneus do pequeno aeroporto que havia pertíssimo da minha casa e de outras coisas. Claro que os mais bonitos eram para mim. Mas quando me chegava a mostarda ao nariz acabava o namoro e o pobre do X lá ia para casa mais murcho que eu sei lá. Todos tínhamos alcunhas: O Chupeta, o Picolé, o João Grande, Pequeno e Médio (havia 3), a Boneca, a Trançona, a Girafa, o Sinal, eu Fatyly e mais uns quantos!

2- Tínhamos dois cães: O Lucky e o Kuanhama e pelo quintal a sequência de "poias" que com o calor ficavam que nem pedras. Todos os dias o quintal era varrido e uma vez por semana toda a zona com cimento desinfectada com creolina e lavada à mangueirada.
Eu e o meu irmão do que nos fomos lembrar: embrulhar em papel de rebuçado as caganitas do cão e sentados no muro vendíamos a quem passava, a maioria militares a caminho do quartel-general. Como achavam-nos graça compravam e pouco depois, contentíssimos da vida fomos comprar dois doces XPTO na loja do Sr. Penedo. Na volta uma grande confusão no portão e o meu pai já pronto para ir à nossa procura. Ainda recordo a cara do meu irmão e eu como se nada fosse. Olhe são esses dois, como se o meu pai não soubesse. Onde está o dinheiro? e eu mostrei os doces...e lá fomos presos pelas orelhas ao Sr.Penedo, que devolveu o dinheiro e tivemos que pedir desculpa aos que enganámos.
Como sobremesa dois tabefes e que tabefes a cada um e de castigo no quarto sem almoçar e jantar. Mas a nossa MR levou-nos de comer sem que os meus pais soubessem.
Esta foi-me recordada há dias quando falei com ela a desejar-lhe um Feliz Natal!

3- Quando a minha mãe estava a ter o meu irmão João, nós os 3 mais velhos aguardávamos na sala pela novidade. O meu pai estava em viagem!
Mano, achas que é rapaz ou rapariga? Eu quero uma rapariga e tu mana? eu um rapaz para ser o meu cúmplice dois. Vais gostar mais dele do que de mim? Claro que não, vou gostar igual embora tu já estejas domesticado. Buáááááá mas eu não sou cão! Calem-se meninos!
Nasceu e lá fomos ver. Era lindo e tinha uns olhos que pareciam uns faróis e com uma diferença de 10 anos era comigo que ele se entendia sempre que se metia em alhadas. Grávida da minha filha ia para a praia com ele e os seus 5 amigos, tão malucos como ele e carrinha mais parecia uma "lata de sardinhas". Saí de Angola e ele ficou e teve que perfilar no exército angolano. Como não pude ir ao funeral, ainda hoje guardo a sua imagem bem viva e sinto aquele abraço quentinho que me dava sempre que estava comigo.
Tinhas 21 anos...e por vezes penso como serias hoje com 50 anos mas não consigo imaginar porque os teus grandes olhos azuis tão sorridentes de "menino reguila" brilham mais do que nunca!

4- Devido aos mosquitos, todas as semanas passava o "carro do fumo". Não me recordo que produto era utilizado, mas mal soava o apito todos abriam as portas e janelas e a fumarada entrava por tudo que era lugar. Sabíamos que era para matar os mosquitos evitando a cólera e o paludismo, mas quase toda a garotada tinha medo do carro do fumo. Eu e o meu irmão & Compª subíamos para o posto de vigia no topo da goiabeira e do cajueiro e lá de cima gozávamos com a minha irmã mais velha e a Trançona muito amiga dela mas embirrenta como o caraças, que choravam tanto agarradas à minha mãe, mas por serem mais gordinhas nunca conseguiram subir.

5- Quando a minha irmã mais velha começou a namorar o sobrinho da nossa MR e porque dormíamos as duas no mesmo quarto, cobrava-lhe dois e quinhentos para ficar de vigia ao corredor e mal ouvia a minha mãe ou pai, dava o sinal e conseguíamos fingir que dormíamos! Mais tarde já namoravam com autorização mas se queriam sair à noite só o podiam fazer se eu fosse a servir de vela. Ai como detestava, mas o meu lado bom pensava...coitados tenho que ir fazer o frete, mas o meu lado mau cobrava cinco escudos porque já trabalhavam. Acho que os meus pais nunca souberam do negócio.

11 comentários:

  1. lololol, achei muita piada à das poias e à de cobrares à tia irmã:)))))
    Malandra!:)))
    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Eras cá uma "bisca" sua maluca sempre com historias lindas para partilhar mostrando sempre o teu lado "selvagem" . De MAria Rapaz
    kis :=)
    FELIZ NATAL

    ResponderEliminar
  3. Observador
    Tenho sim, que daria para um livro de anedotas. Algumas são recordadas pelos meus irmãos, pela MR e amigos. Era por demais e só aprontava:)

    Beijocas amigas

    ResponderEliminar
  4. Wind
    já tinha jeito para o negócio:):):):):) e malandra era pouco, coitados dos meus pais:)

    Beijocas amigas

    ResponderEliminar
  5. Avogi
    Oh se era selvagem e uma autêntica maria-rapaz :) e ainda tenho mais mas vou contando com o tempo.

    Beijocas amigas e Feliz Natal

    ResponderEliminar
  6. Que rica prenda me saiste!

    Para castigo, desejo-te um FELIZ NATAL.

    ResponderEliminar
  7. Espaço do João
    hehehehehe para ti e todos os teus também:)

    Beijocas e obrigado

    ResponderEliminar
  8. Bagaco amarelo
    Igualmente para ti e todos os teus:)

    Beijocas e obrigado

    ResponderEliminar
  9. TAtyly
    FELIZ NATAL...
    O MEnino Nasceu...
    pARA TI E FAMILA
    UM BEIJO




    SE EU FOSSE CAPAZ...


    Se eu fosse capaz...
    De fazer o que quero...
    Eu ia fazer muito...
    Salvava as rosas...
    Que florescem e deixam...
    Que as pétalas caiam e acabem...
    Mas os espinhos...
    Esses ficam sempre...
    Aguardam o novo botão...
    Se eu fosse capaz...
    Deixava que a rosa...
    Linda e perfumada...
    Deixasse o seu cheiro...
    Entrar no meu coração...
    E iria conservar o Amor...
    Ai... se eu fosse capaz!...


    LILI LARANJO

    ResponderEliminar