terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

MORREU MÁRIO COLUNA




E AOS POUCOS VÃO PARTINDO OS DE UMA GERAÇÃO DE FUTEBOL QUE ME ENCANTOU...E DESDE ENTÃO NÃO CONSIGO GOSTAR DE FUTEBOL E MUITO MENOS DA SELECÇÃO!

Cumpriste o teu sonho...acabar os teus dias na tua terra Natal e descansa em paz!


14 comentários:

  1. Respostas
    1. Todos partimos porque quem se julgar eterno e viver numa redoma de vidro é puramente idiota!

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  2. Está agora a descansar ao pé do Eusébio.
    Que dois craques!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e será que continuará a chamar-lhe de SR.Coluna? Foram de facto dois grandes craques num tempo em que havia mesmo "amor à camisola".

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  3. Não me lembro dele, os feitos deles foram era eu pequena:)
    Que RIP.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Não sabia quem era Mário Coluna. Fiquei a conhecer pelas piores razões. A sua morte.

    Gosto da nossa Selecção, quando jogam estou sempre lá a torcer por eles. Nesse momento vejo Portugal equipado para vencer :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acontece amiga, já era velhote e marcou muito a minha juventude, época que eu gostava de futebol e quando eles iam a Angola...era um show de bola:):):)
      Hoje nem sequer a Selecção me diz alguma coisa já que gosto imenso de outras modalidades desportivas e fico tão triste haver tanto para o futebol e por exemplo para os paralimpicos é quase zero. Enfim!

      Um abraço e obrigado

      Eliminar
  5. Tanto quanto sei, o Coluna, ao contrário do Eusébio, tornou-se moçambicano depois da independência da sua terra, que também é do Eusébio, mas este permaneceu português. Ele até chegou a ser ministro em Moçambique. No entanto, quando lhe perguntaram pela sua representação da selecção nacional, Coluna disse que representou Portugal "com muito orgulho". Na altura Moçambique pertencia a Portugal e os naturais de Moçambique, como ele, o Eusébio e também brancos como o falecido guarda-redes do Benfica Costa Pereira representavam Portugal, pois, como dizia o grande Salazar, "Portugal ia do Minho até Timor". Naqueles tempos ainda havia Pátria... na década de 70 tal conceito desapareceu com a independência das antigas províncias ultramarinas, o império foi destruído... e os novos países tornaram-se miseráveis, e Portugal conheceu o fenómeno dos problemas sociais associados à imigração em massa de gente proveniente precisamente das ex-colónias...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os que nasceram em Angola (julgo que das outras ex-colónias também) que como eu sairam, tivémos de ir à Conservatória dos Registos Centrais de Lisboa renovar a documentação, o que fiz, mas muitos não o fizeram por desconhecimento ou ignorância. O que originou uma confusão tremenda conhecida de todos. Ainda hoje e é só tratar dos papeís e passo a ter a dupla nacionalidade, tal como Coluna tinha e Eusébio também e estás a dar-me uma grande novidade: "o grande Salazar"???? uééééé o homem nem era assim tão alto:):):)
      Só sei que era uma equipe genial e ainda hei-de pesquisar os que já partiram, porque todos eles jogavam por amor à camisola e o resto, ai amigo, não vou bater na mesma tecla porque não me apetece.

      Um abraço e obrigado

      Eliminar
    2. É simples, pois depois da independência das ex-colónias passou a haver a nacionalidade desses mesmos países. E sim, ao abrigo da jus solis que se aplica em Angola, tu podes ter a dupla nacionalidade, coisa que é permitida tanto por Portugal como por Angola. Mas para que é que haverias de querer ter também a nacionalidade angolana? Só se estiveres a pensar em voltar para lá e nesse caso terias a vantagem de não ser considerada estrangeira.

      Eliminar
    3. Eu e a minha filha mais velha e nunca se sabe do dia de amanhã. Pensar em voltar? penso todos os dias, mas todos...e tenho gente amiga que dizem com imensa graça que se lhes sair o euromilhões pagam-me a passagem apenas de ida e compram-me uma cubata? Comprar? eu faço a cubata...:):):):)

      Estrangeira sou cá ou julgas que não? Nunca senti na pele a palavra "retornada", porque de facto não sou ou então o respeitinho é muito bonito e eu gosto, porque sou emigrante daí refilar tanto com quem trata mal os que cá procuram um futuro melhor.

      Eliminar