sábado, 15 de fevereiro de 2014

NAMORO



Mandei-lhe uma carta em papel perfumado
e com letra bonita eu disse ela tinha
um sorrir luminoso tão quente e gaiato
como o sol de Novembro brincando
de artista nas acácias floridas
espalhando diamantes na fímbria do mar
e dando calor ao sumo das mangas

Sua pele macia - era sumaúma...
Sua pele macia, da cor do jambo, cheirando a rosas
sua pele macia guardava as doçuras do corpo rijo
tão rijo e tão doce - como o maboque...
Seus seios, laranjas - laranjas do Loje
seus dentes... - marfim...
Mandei-lhe essa carta
e ela disse que não.

Mandei-lhe um cartão
que o amigo Maninho tipografou:
"Por ti sofre o meu coração"
Num canto - SIM, noutro canto - NÃO
E ela o canto do NÃO dobrou

Mandei-lhe um recado pela Zefa do Sete
pedindo, rogando de joelhos no chão
pela Senhora do Cabo, pela Santa Ifigenia,
me desse a ventura do seu namoro...
E ela disse que não.

Levei à Avó Chica, quimbanda de fama
a areia da marca que o seu pé deixou
para que fizesse um feitiço forte e seguro
que nela nascesse um amor como o meu...
E o feitiço falhou.

Esperei-a de tarde, à porta da fábrica,
ofertei-lhe um colar e um anel e um broche,
paguei-lhe doces na calçada da Missão,
ficamos num banco do largo da Estátua,
afaguei-lhe as mãos...
falei-lhe de amor... e ela disse que não.

Andei barbudo, sujo e descalço,
como um mona-ngamba.
Procuraram por mim
"-Não viu...(ai, não viu...?) não viu Benjamim?"
E perdido me deram no morro da Samba.

Para me distrair
levaram-me ao baile do Sô Januario
mas ela lá estava num canto a rir
contando o meu caso
as moças mais lindas do Bairro Operário.

Tocaram uma rumba - dancei com ela
e num passo maluco voamos na sala
qual uma estrela riscando o céu!
E a malta gritou: "Aí Benjamim !"
Olhei-a nos olhos - sorriu para mim
pedi-lhe um beijo - e ela disse que sim.


Viriato da Cruz (Porto Amboim-Angola)

(foto Google)

10 comentários:

  1. Uma das letras e músicas mais bonitas que existem.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. É de facto amiga e hoje bateu uma saudade da minha terra, daquele cheiro da terra molhada, do calor e das personagens e locais de que fala o poema!!!!

    Beijocas e obrigado

    ResponderEliminar
  3. Oi, Fatyly!
    Essa cabrocha foi é dengosa!
    Gostei demais!!
    Bom fim de semana!!

    *Obrigada pelo comentário que tocou-me fundo. Saber mais sobre com quem fazemos as nossas trocas virtuais, nos aproxima como pessoas :) Nossas almas ficam mais próximas!

    Beijus,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bota dengosa nisso...mas este poema sempre me acompanhou:)
      Quanto ao comentário que faço no teu espaço, é gratificante ler tantas opiniões divergentes ou não e poder comentar numa troca de "vivências" é para isso que servem os blogues:) e com isso aproximamo-nos sempre mais.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Também gosto e julgo que também cantada pelo Janita Salomé...aquele que usa sempre uma boina preta:)

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  5. Namoro, sempre!!
    Beijinhos e votos de boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem sombras de dúvidas:) e boa semana

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  6. Já arranjei uma tradutora de chinês para os meus poemas e hoje mesmo seguiu uma carta para a China, para a minha namorada. :)

    ResponderEliminar