sábado, 25 de abril de 2015

25 de Abril de 1974 - SEMPRE E PARA SEMPRE!!!

15 comentários:

  1. Sempre e este Senhor não há palavras para ele!
    Um verdadeiro herói que foi votado ao esquecimento por não querer fazer parte de politiquices.
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizes tudo e penso da mesma forma!

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  2. Esta frase/conselho/apelo de Salgueiro Maia fica a dever-se a uma premonição ou ao conhecimento daquilo que somos?

    "Sempre e para sempre" será, enquanto houver memória histórica. O que vão fazer desta data, mais, do que irão fazer dos ideais de que resultou, é que me deixa muito, cada vez mais, apreensiva.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Salgueiro Maia não tinha "premonições" conhecia era bem o povo, porque viveu sempre ao lado dele e por ele.

      Desconheço o futuro, sem dúvida que estamos mal e longe dos ideais de Abril, por mil razões governados pelo que se sabe e actualmente somos escravos de mercados sem rosto, de um capitalismo selvagem, de uma corrupção dantesca e sobretudo de impunidade gritante.

      Ontem não ouvi qualquer discurso da treta, nem manifestações da treta, embora respeite...não estive para aí virada.

      O futuro? a Deus pertence e há 41 anos nunca pensei chegar aos dias de hoje.

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  3. A frase/conselho/apelo de Salgueiro da Maia não foi uma premonição, como sugere a estimada GL. Antes, terá sido a sua quase científica forma que tinha do povo português.

    Este militar merece o meu aplauso. O mesmo não posso dizer de outros apelidados capitães de Abril. O que fizeram? O que têm feito? Onde estão?

    Lamento profundamente mas não consigo sintonizar-me deste '25 de Abril sempre'!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal e qual. Não vivi este dia porque lá, fomos sabendo a conta-gotas e sempre com medo da PIDE. Ele foi o rosto da liberdade e faço minhas as tuas palavras:"O mesmo não posso dizer de outros apelidados capitães de Abril."

      As comemorações de ontem não se identificaram com os ideais de Abril de 74 devido ao estado actual do estado e como tal não vi nada. Blá, blá trinta e um de boca depois de terem destruído um país e deixar o povo na miséria de antigamente!

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  4. Amiga, por vezes vejo-me a desejar a antes da revolução. Eu sei, eram outros tempos, mas eram tempos de respeito e educação.
    Kis:>}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fomos do 8 ao 80, mas jamais voltar "ao respeito e educação à custa do MEDO e de muita PORRADA a todos os níveis, quando não eram banidos por dá cá aquela palha".

      Hoje a justiça só funciona para os pobres. Com precariedade a todos os níveis os miúdos crescem numa "rebaldaria de emoções"e governantes que não "cuidam dos seus velhos e crianças" são tudo...menos governantes.

      É urgente encontrar o meio-termo em tudo.

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  5. Pois, mas o problema é que, pouco durou o 25 de Abril, que nos governou, ou desgovernou foram sempre os mesmos, agora e sempre ou quase sempre são disfarçados, são fascistas em versão soft. vivem da mama dos partidos, nunca fizeram nada na vida de útil, depois ainda pensam que são seres dotados para nos des...governar.


    Outra coisa que me faz saltar a tampa, é ouvir gente a dizer que no outro tempo é que era bom, havia respeito, educação, ( que me desculpe a AvoGi). Qual respeito, as mulheres sem direitos e levar na cara todos os dias, e qual educação, quem estudava, que educação de ver gente a se explorada, e que educação era a que os pais davam aos filhos se nem ganhavam para comer e a educação era educar na base da força violência.


    Outros dos desatinos que me causam é defender assassínios, e muitos deles assassínios de massas, e pendem a todos os Deuses que eles voltem, eles é que eram bons, não havia cá meios quês, és contra mim tiro-te a tosse, ouves essa musica levas uma carga de porrada para aprender, queres ler um livro que eu não gosto eu digo-te essas modernices não entram aqui.


    Este não é o 25 de Abril desejado,nem a revolução ideal, mas mesmo com todos estes gatunos, prefiro mil vez isto, mais não seja por poder responder da forma que eu quiser nestes espaços públicos sem medo algum.


    Abraço grande amiga e que viva sempre a liberdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo inteiramente tudo o que dizes e nem preciso dizer mais nada. Excepto isto: onde estão os "pidescos" que cometeram atrocidades de todo o género e feitio? Algum foi julgado e condenado pelo desaparecimento de milhares de famílias? quantos fugiram do país a pé e às escondidas? Jamais e falam do antigamente e de todo o ser humano que foge de atrocidades, guerras e fome!

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  6. Nem vou acrescentar nada, aqui em cima o blogger setesois disse tudo de forma limpinha, limpinha. Quem fala assim não é gago e o que eu tendo a simpatizar com gente não gaga.

    Gostei, quer da frase de Salgueiro Maia que a Fatyly publicou, quer de palavras que correm livremente de forma construtiva. Porque a vida assim sabe muito melhor. O diz-que-disse aborrece-me sobremaneira. Não tenho pachorra

    Bom domingo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade o setesois disse tudo e concordo contigo porque não devemos perder tempo no "no diz-que-disse" mas sim numa aposta de um diálogo construtivo.

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  7. Parece, no entanto, que a liberdade é só para alguns...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo Fire, porque há muita gente que deveria ser privado dessa liberdade pelo muito mal que faz ao seu semelhante e ou ao povo que governa, assim como sermos regidos por "mercados sem rosto, por despesa sem valores morais e éticos" no qual não metemos nem prego nem estopa!

      Mas na vida tudo passa e toda esta "cebolada capitalista e em busca de riquezas metais" um dia passará e acredito que melhores dias virão , sobretudo para os mais novos.

      Beijos e obrigado

      Eliminar
    2. Eu referia-me concretamente às pessoas que são contra aqueles que como eu que dizem que preferem a ditadura a esta pseudo-democracia. Para essa gente, a liberdade é só para elas, não também para pessoas como eu. Faz-me lembrar das detenções do Artur Agostinho ou da Amália Rodrigues após o 25 de Abril de 1974 em nome da liberdade... ou melhor, da falta dela.

      Quanto à posta, e ironias à parte, muito daquilo que o "herói" Salgueiro Maia ajudou a construir pode por exemplo ser visto nos bairros degradados e problemáticos da Amadora ou nos centros de Segurança Social.

      Beijinhos.

      Eliminar