quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Dia 14 de Fevereiro...um ano depois!

Ontem fez um ano que a minha mãe saiu da sua casa e nunca mais voltou. Fui vê-la ao lar sem avisar e ficou surpresa porque não estava a contar comigo. És sempre a mesma...nunca avisas, malandra.

Esteve a coser uma peça de roupa de uma das companheiras. Em cima da cadeira estava um livro que anda a reler, deste grande senhor:


Agostinho da Silva



Quer ela, quer o meu pai gostavam de ouvir as inúmeras entrevistas que deu na década de 90. Também ouvi algumas e por vezes debatíamos as mesmas:)

Para mim foi uma personagem do povo e que nunca se julgou "alguém importante"! Ouvi-lo era um bálsamo e há vários vídeos no Youtube que deveriam ser recordados principalmente na RTP, que dizem ser estatal, em vez de resmas de novelas e programas da treta!

Voltando à minha mãe, ela tinha marcado dois pensamentos e ou citações para eu ler, o que fiz e foram estas:

"Não faças planos para a vida, que podes estragar os planos que a vida tem para ti."

"Os políticos, em lugar de se ajudarem entre si e uns aos outros nesta tarefa difícil que é administrarem um país, em que se tem ao mesmo tempo que olhar o presente com todo o cuidado objectivo, e ter a maior confiança no que se pode concretizar de futuro, em lugar de os políticos se ajudarem uns aos outros, se auxiliarem, a realmente levar essa tarefa por diante, tantas vezes se entretêm, em todos os países, a lutar uns com os outros, a desacreditarem-se uns aos outros, como se isso pudesse fazer avançar seja o que for."

(Agostinho da Silva)

Biografia da Wikipédia:

"George Agostinho Baptista da Silva (Porto, 13 de fevereiro de 1906 — Lisboa, 3 de abril de 1994) foi um filósofo, poeta e ensaísta português. O seu pensamento combina elementos de panteísmo, milenarismo e ética da renúncia, afirmando a Liberdade como a mais importante qualidade do ser humano. Agostinho da Silva pode ser considerado um filósofo prático empenhado, através da sua vida e obra, na mudança da sociedade. Passou considerável tempo de sua vida no Brasil."

16 comentários:

  1. Um ano depois, a vida continua. Não como naturalmente desejariam mas com dignidade. E essa está toda do vosso lado.
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo inteiramente e acho que está muito melhor onde está do que estaria em casa de qualquer filho e nunca teve tantas visitas como agora.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  2. Já passou um ano, fogo!
    Felizmente passou tudo e dentro do possível ela está bem:)
    Adoro Agostinho da Silva:)
    Um xi grande e beijocas:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O tempo voa:) felizmente entrou tudo nos eixos e claro "dentro do possível ela está mesmo bem".

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  3. Um filósofo da vida real!
    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi sim e deixou um legado tão grande.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  4. O grande Agostinho da Silva.
    A escola da vida ainda é insubstituível.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  5. A Mãe é uma abençoada por ter uma Filha como a sô dona Fatyly, mas a inversa também é verdadeira.:)

    O Grande, Grande Homem que foi Agostinho da Silva. Um prazer lê-lo, revisitá-lo, uma angústia constactar que homem, com letra bem pequenina, não aprendeu - alguma vez aprenderá? - rigorosamente nada. Aprendeu a refinar vícios, desrespeito, desumanidade, desonestidade.
    Fico por aqui, que o rol de "virtudes" não acaba.:(

    Um grande beijinho para ambas, a Mãe em primeiro lugar.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando ela está envinagrada eu faço silencio e depois ela diz-me o que disseste:))) que é abençoada etc e tal:) e arremata: filha gostas de mim? ao que respondo: não, porque detesto vinagre :)))) sorri e muda logo de registo.

      Hoje já me telefonou duas vezes e estava baralhada porque pensava que ainda não tinha falado comigo. Noto que falha muito no passado recente, mas no mais antigo é ela que me aviva a memória e acredita que muita coisa se varreu do meu pensamento.

      Eu gostava imenso dos debates/entrevistas que ouvia na televisão. Foi de facto um grande senhor pautado pela simplicidade do ou no seu falar.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  6. Voltei... mUlher de branco...Já vim aqui algumas vezes mas depois reparei que não tens o meu linque nos blogues que segues e pensei que nao querias nada comigo. Depois soube que o meu linque desapareceu, assim como muitos outros, de vários b!Lgjes. Por isso se quiseres me visitar terei todo o prazer de abrir as portas.
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha ela quiiiiiii bom:)))

      Deixei-te dois comentários a dizer que que quando voltasses e se voltasses para avisar Aliás pelo que já leste o muito que escrevi, respeito quem se afaste do seu blogue, deixo o aviso e retiro dos blogues que sigo.

      No entanto tenho-os guardados e volta e meia vou ver se voltaram e realmente o teu aparecia qualquer coisa como só para convidados.

      Amiga vim agora aqui um bocadinho para ver outros assuntos e vou-me deitar porque estou cansada e amanhã vou de manhã com a minha mãe fazer um exame e almoçar fora com ela perto do lar onde se encontra. Depois claro que te irei visitar e ver as noividades.

      Quando não "quero nada com alguém" aviso igualmente, mas é com imenso prazer e alegria que vejo que voltaste!

      Beijocas e um bom serão

      Eliminar
    2. Só para convidados? Nunca lhe isso! Volta lá e depois diz-me se acontece o mesmo. Nunca privatizei o blogue....
      Kis :=}

      Eliminar
  7. Curioso, sem conhecer a tua mãe, e por aquilo que vais contando, já simpatizo com ela.
    Agostinho da Silva, que evocas, é dos últimos libertários da condição humana. Hoje, da maneira como está organizado o mundo, um ser do seu calibre, enorme, pouco espaço teria para se manifestar. Estaria, infelizmente, num qualquer centro "de recuperação, onde as drogas ministradas acabariam por o silenciar. Eu, que o admiro e admirarei, tenho cada vez mais a certeza que, neste mundo que está a emergir, qualquer ser que pense pela sua cabeça - espécie cada vez mais rara, diga-se - é alvo a abater.
    O melhor para a tua mãe, Fatyly!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não diria melhor o que dizes e que subscrevo inteiramente. Mas não devemos desistir, nunca, porque estamos na era do "descartavel onde a mediocridade é cada vez mais uma nódoa". Também a velha guerra geracional é bem notória, mas depois aprendem com os próprios erros.

      Pelo que escreves uiiiiiiiiii terias ali uma grande fã e uma bela conversadora. Durante anos fui imprimindo coisas deste mundo de cabos para ela ler, mas agora diz que quer acabar de ler e reler os livros que tem. Hoje vou com ela fazer um exame oftalmológico e já tenho ali para lhe dar a Biografia de Agostinho da Silva porque segundo me disse há coisas que se esqueceu. Uma luta que admiro para manter a sua memória e acreditas que já fiz contrato com uma papelaria:) para que mal saiam as palavras cruzadas me diga, porque agora como tem mais tempo livre das preocupações caseiras, já faz o que mais gosta. Se visses o horário dela até te rias, porque tudo tem uma hora certa: arranjar a roupa que lhe pedem, ler/meditar, fazer palavras cruzadas, croché e tricô e agora mais uma por semana: dobrar um caixote de guardanapos de papel. Ofereceu-se e anteontem quando a fui ver julgas que parou? Só me disse, espera um bocadinho que já estou no fim, mas podemos falar hehehehe

      Triste é ver a sua embaralhação do passado-recente e a pouca mobilidade com que ficou e amigo...vai piorando.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  8. A sua mãe, Fatyly, parece-me - por tudo aquilo que vai desfiando aqui - ser uma senhora que não se acomodou no tempo, continua a ser curiosa. Estas duas passagens que escreveu, as marcadas, são a prova disso mesmo. Eu gosto muito de pessoas de mais idade que não se escudam nisso da idade com o pretexto de que não sei quê... não aprende línguas. Palmas para a sua mãe e palmas para si que continua a visitá-la, não com dia e hora marcada, mas sempre que acha que o deve fazer. Gostar de alguém, seja esse alguém quem for, passa mesmo por aí :)

    Tenha uma boa noite, Fatyly.

    ResponderEliminar