quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Essa Palavra Margem - Ondjaki

quem primeiro domesticou a palavra margem foi Guimarães Rosa!
Depois foi invadido por marés de margens...



depois pode-se apontar
margem de rio
margem da página
margem do momento
[ou momento à margem]
margem-só
terceira margem
[do rio, das pessoas, do amor]
poeta à margem
poesia das margens
margem de gente
à margem da vida
vidas sem margem
ficas sem margem
na margem da vida
margem de vinda
margem de ida
margens de chegada
[com canoas, jangadas, embarcações]
margem adiada
margem odiada
margens dos cegos, dos gagos
a margem dos que estão
à margem dos que não estão
margem da liberdade
[de pisar o chão]
à margem da verdade
margem da lágrima
minha margem
na margem
do meu poema.
[a terceira margem da pessoa – é o outro...?]

Ondjaki
(poeta e escritor nasceu em 1977 em Luanda e é licenciado em sociologia)


Imagem Google

18 comentários:

  1. Respostas
    1. Sempre o achei e diz-me muito!

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  2. Uma única palavra, simples a quem a olha, porém é enorme de variações e sentidos.
    Grata pela partilha

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo. Este jovem tem imensas publicações e também escreveu alguns para crianças. Sempre gostei imenso dele e acompanho a sua carreira:)

      Beijos e obrigado

      Eliminar
  3. Gosto muito do que ele escreve.
    Já aqui passou no Festival Rota das Letras.
    Beijocas, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto muito e desconhecia que tinha passado por aí:)

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  4. Um belo jogo de palavras, de envolventes palavras...
    Trouxeste um convidado que prende, da melhor maneira, a atenção do ouvinte/leitor, Fatyly. Ondjaki prima pela inovação, pelo namoro dos sentidos, pela efabulação da alma...

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo como descreves e perco-me nesse jogo de palavras. Há outro dele que me encanta "materiais para confecção de um espanador de tristezas". De uma simplicidade encantadora que nos leva, pelo menos a mim, a uma viagem de sonhos:) Gosto igualmente de dois livros para os mais pequenos "Ynari" e "O voo do Golfinho".

      Com poetas e escritores deste calibre, a nível escolar não consigo entender como recomendam a leitura de livros "mais do mesmo" sem verem que assim não conseguem prender ou que façam que aprendam o hábito de leitura.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  5. Exploram-se conceitos, de forma bela!
    AS Palavras têm essa magia, de poderem ser cantadas e poetizadas.
    Bem hajam os poetas!

    ResponderEliminar
  6. Não há margem para dúvida que poesia é uma arte que nos alimenta a alma, em bom :)

    ResponderEliminar
  7. Uma arte da qual não tenho jeito.
    Mulher é branco vai lá ao meu blogue a ver se continua "só para convidados". Nunca privatizei o estapilha...
    Depois venho cá a ver se realmente há algo de errado.
    ( Dêsculpa falar de algo que não tem a ver com o poste)
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tem importância. Ando atrasada na leitura, mas já estás ali na barra lateral. Agora está tudo nos conformes e disse o que disse porque estando tu ausente eu ia ver se tinhas voltado e uma ou duas vezes deu-me esse sinal. Coisas do blogger que já passou.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  8. Obrigada eu minha mulher de branco...Mas foi um interregno que não estive nem visitei os amigos.
    Mas já passou
    Kis. :={

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compreendo-te perfeitamente e respeito todas as ausências sem questionar o porquê?
      Para mim vir aqui nestes quase 16 anos nunca foi uma obrigação, porque quer eu, quer qualquer pessoa tem uma vida fora daqui, com altos e baixos. Como tal venho, leio tudo e comento, nunca o faço só por fazer, leio mesmo...tal como um livro de bolso nome que dei aos poucos blogues que sigo.

      Tudo passa na vida até nós estamos de passagem:))

      Beijocas

      Eliminar
  9. A vida não é, toda ela, uma margem?
    Gosto da margem enquanto espaço de segurança, de fora de perigo, mas nunca daquela em que ficamos fora de pé, sem chão.

    Gosto deste Ondjaki. Gosto de uma certa singeleza que deixa adivinhar.

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sim a vida é toda ela uma margem, mas por vezes fogem-nos e há que fazer de tudo para voltar à margem.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar