sábado, 18 de abril de 2015

É mais difícil sentir falta do que não se viveu, mas que poderíamos de alguma forma ter vivido? Ou é mais difícil sentir falta do que se viveu e entretanto se perdeu?

Fui desafiada pela dona do blogue Amanhecer Tardiamente para responder às perguntas (que pus agora como título deste post)!

Sou lá mulher para fugir a desafios e claro que aceitei. Mas antes de pôr o "meu amontoado de palavras", deparo-me (e bem ao estilo da autora), com uma ficha técnica bem "supinpa", para não falar do intróito que fez a cada participante:

A minha colaboração:

«Encontro neste desafio a ténue fronteira entre sonhadora e saudosista! Estados de alma que se encontram, que se misturam, que se afastam que galgam e contornam,tal como um rio na sua difícil caminhada até à foz. A vida é isso mesmo, um rio! Não abro mão dos meus poucos sonhos onde retenho “a forma de ter vivido o que não se viveu”, mas não sofro nem sinto falta! Sou muito pouco saudosista. Desde bem cedo fui aprendendo a lidar positivamente com a “perca material e com a morte”, porque carregando tal saco negativo “do que se esfumou no tempo” é queimar energias e nada saudável. Pura perca de tempo! Guardo apenas e tão só vivências, emoções, afectos com e ou de quem já partiu, com segundos de saudade de os abraçar, mas sem qualquer remorso de que poderia ter feito mais e que não fiz. Entrelaçando-me nas duas hipóteses, resumo que para mim nunca foi, nem é “difícil sentir falta do ou de...”, talvez por ser optimista e pensar positivo sempre, mesmo quando tudo desaba em cima!»

Obrigado Maria por este CONVITE e já agora deixo-te aqui o meu Desafio (e talvez seja também a vontade de todos os que participaram, não sei):

Gostaria muito de saber o que e ou como responderias às mesmas perguntas! 

ACEITAS? 


25 comentários:

  1. Boa noite, Fatyly,

    Antes de mais quero agradecer-lhe novamente. Gostei bastante da sua resposta, mas quanto a esta volta, a de responder às minhas próprias perguntas é que estou para aqui renitente. Não sei se a Fatyly percebeu mas evitei o mais possível mostrar qual era a minha opinião. A minha posição. Foi propositado. O protagonismo teria de ser dos que amavelmente se mostraram disponíveis para colaborar, eu seria apenas o veículo para. Quero continuar no papel de veículo. Quero que o protagonismo fique desse lado. Penso que a vida passa por escolhas, e existem momentos em que o brilho não é nosso. É dos outros. Este é o momento em que a luz deste lado se mantém apagada.

    De qualquer forma, muito obrigada, e aceite um abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Maria foste totalmente isenta e pelo menos para mim, o ter participado não foi e nunca será pautado pelo factor "protagonismo". Gostei muito da forma e conteúdo deste desafio:)

      Respeito, aceito e compreendo o não aceitares responder.

      Um bom domingo

      Beijocas

      Eliminar
    2. Fatyly, este protagonismo de que falo não tem qualquer sentido pejorativo, antes pelo contrário, este protagonismo é no sentido de algo que se destaca porque tem qualidade. Portanto, que se escreva protagonismo sem aspas, porque todos os que responderam merecem :)

      Um dia destes vamos a outro desafio. Este vai ser um pouco mais "bravo", digamos assim. Depois verá ;)

      PS: Já me desafiaram por três vezes (penso) e aceitei sempre. Excepto num que aceitei, sim senhores, desde que aquilo fosse cortado em metade. É que o questionário tinha para aí umas 5.000 perguntas. Ninguém aguenta (ahahah).

      Bom domingo :)

      Eliminar
    3. Claro que sim e longe de mim pensar tal coisa, o protagonismo foi de todos os participantes e também teu pelo desafio.

      Outro Desafio mais bravo? Se for desafiada aceito porque enfrento mansos, calminhos, bravos e bravões (esta palavra não existe, mas agora passa a existir:):):)

      Eu sei lá a quantos desafios já respondi ao longo destes anos que ando na internet. No bloguer ando há uns 4/5 anitos. Mas fazendo uma pesquisa dou de caras com coisas que não me lembrava nada ter colaborado:):):) Mas nenhum com "5.000 perguntas" xi patrão só se fosse com 10.000 heheheheh

      Beijocas e vou dormir

      Eliminar
    4. Sr Observador claro que nos entendemos e tu também estás no mesmo pacote, à segunda-feira é que não te pico muito:):):)

      Beijocas rapaz

      Eliminar
  2. A tua resposta é a tua carinha:)
    Claro que é é mais difícil sentir falta do que se viveu e entretanto se perdeu.
    Mas para mim apesar disso , a vida continua:)
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já me disseram o mesmo e tu já me conheces há anos:):):)

      E tens razão na tua opinião, claro que a "vida continua".

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  3. Fatyly,
    É claro que gostei da sua resposta. Se outros méritos não tiver, pelo menos o desafio da Maria Madeira contribuiu para ser seu seguidor. :)

    Um bom domingo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado AC mas por favor aqui peço a todos(as) que me tratem por "tu", mas respeito se assim o não entenderem.

      Já ando a ler o teu blogue desde o início, o que faço sempre antes de pousar ou não para ter uma ideia sobre o mesmo. Os da barra lateral são os que frequento e quando param, são substituídos. O teu já está na calha...mas em nenhum entro no pendurico "dos seguidores" porque ainda não tive vontade de saber sobre a sua funcionalidade.

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  4. Também não sou nada fã do Ò tempo volta pra trás.
    Não volta, ponto final.
    Pensamento positivo e vamos em frente.
    Beijocas, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem e quem "fala assim não é gago":):):)

      Beijocas e obrigado

      Eliminar
  5. É impossível sentirmos falta de algo que não tivemos ou que não vivemos. E eu nunca mais comentarei nesse blogue que tu referiste.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas olhe que perde muito, eu ofereço bolachinhas de canela caseiras e chocolate quente em dias muito frios.

      Tenha uma excelente semana, fire.

      PS: Peço desculpa, Fatyly, acho que o fire falava de mim... vá lá saber-se porquê.

      Eliminar
    2. É impossível? Então onde estão os teus sonhos? Eu ainda tenho vários.
      Quanto ao resto, só a ti te diz respeito porque não tenho nada a ver com isso.

      Beijos rapaz!

      Eliminar
    3. Maria não tens que pedir desculpa ora essa e sinceramente não faço ideia do que se trata e muito menos quero saber o porquê. Tudo passa, tudo passaráaaaaaaaa:)

      Mas que marchavam agora umas bolachinhas de canela caseiras, lá isso marchavam!

      Beijos

      Eliminar
    4. Não, não perco nada, Maria Madeira. E não, não falava de ti. Podes investigar primeiro antes de voltares a achar que eu falava de ti. Seja como for, obrigado pelas bolachinhas de canela caseiras e chocolate quente em dias muito frios. :)

      Beijinhos.

      Eliminar
    5. Sim, Fatyly, deixa isso para lá. O facto de eu ter dito que nunca mais comentarei no blogue da Maria Madeira não é para criar nenhum problema.

      Beijinhos.

      Eliminar
    6. Fire
      claro que sim e sei bem a tua forma de ser e estar

      Beijocas

      Eliminar
    7. Firehead, achei tudo isto muito feio. Não se usa o espaço de outra pessoa para deitar abaixo outro blogger. Pelo menos foi essa a leitura que fiz. Uma pessoa de bem, ou vai o espaço da pessoa, ao email dessa pessoa e diz o que tem a dizer de forma frontal, ou simplesmente nada diz. Pelo menos não diz nas costas. Mas pronto, nasci depois do 25 de Abril e não percebo nada de educação. De honestidade. Terá a ver, com toda a certeza, culpa de toda esta liberdade que agora se pratica. São coisas destas que acabam por instalar mau ambiente na blogosfera sem qualquer necessidade. São coisas destas que fazem com que muita gente deixe de comentar em blogues. São coisas destas que nos fazem pensar que ter um blogue em vez de nos trazer bem-estar, acaba por trazer desconforto. O que é pena.

      Assinado: Maria madeira, dona do blogue Amanhecer Tardiamente e de quem não estava a falar. Sendo assim peço muita desculpa.

      Eliminar
    8. O facto de eu ter escrito que nunca mais comentarei no teu blogue não quer necessariamente dizer que eu estou a mandar abaixo o blogger que és tu, mas tudo bem, é a tua interpretação. É que eu simplesmente só escrevi isso mesmo: que nunca mais comentarei no teu blogue. É verdade que podia não ter escrito o que escrevi. Desculpa então por ter escrito o que escrevi.

      Eu também nasci depois do 25 de Abril de 1974. Tomei, portanto, a liberdade de escrever o que quis escrever.

      Beijinhos.

      Eliminar
    9. Firehead, isto que fez aqui foi uma tentativa de minar outra pessoa. E fez exactamente no sitio onde sabia que teria mais visibilidade. Não o fez no seu blogue, o espaço onde pode escrever o que bem quer e entende. Foi estratégico. E feio, mas uma vez.

      Limitei-me a escrever um post onde dei voz a outros bloggers, fiz publicidade a outros bloggers. Alguma vez o fez? Pois... Tem toda a liberdade de falar mal de mim, coisa um pouco estranha porque nem sequer me conhece de lado algum. Nunca faltei ao respeito a ninguém que comentou no meu espaço. Jamais o faria, não foi assim que fui educada.

      Triste é que talvez tenha conseguido afastar duas pessoas que até se entendiam nisto da net. O veneno ficou plantado. Dou-lhe os meus parabéns. E dou por terminado os meus comentários.

      Eliminar
    10. Fire e Maria madeira

      Não se zanguem por algum cabo deste mundo de cabos ter ficado mal posto e entendam-se por favor, porque aqui a cubata "sem portas nem janelas" não há "amarras" e dêm o assunto por terminado. Escrevam e esclareçam a situação porque é falar que a gente se entende, mas em privado e compreendo muito bem os dois., já que a dona deste espaço, euzinha da selva, não percebeu patavina e nem quer saber.

      Xaxavor ximmm? e façam as pazes porque já temos muitos problemas fora daqui, aqui é para opinar, descontrair, respeitar e sempre em liberdade.

      Um enorme abraço aos dois

      Eliminar
  6. Maria Madeira,

    Eu já te disse para tu investigares se eu realmente andei a falar de ti antes de vires para cá afirmar que eu ando a falar mal de ti. É exactamente por não te conhecer de lado nenhum, e eu estou muito bem assim, que eu não ando para aqui a falar mal de ti, mas foi assim que tu interpretaste, dizendo que é estratégico e feio, o facto de eu, na posse da minha liberdade, ter escrito que nunca mais voltarei a comentar no teu blogue.

    E sim, devo ter sido mesmo eu que afastei duas pessoas do teu blogue. Foi depois de eu ter aqui escrito que nunca mais voltarei a comentar no teu blogue mesmo sem ter escrito porquê? Se calhar é porque essas duas pessoas me perguntaram o porquê de eu nunca mais comentar no teu blogue e provaram do veneno que ficou plantado.

    Na blogosfera o que não falta é gente que fala sempre mal do meu blogue e também de mim. Se calhar por causa disso é melhor eu pensar em sair de cena.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar